quarta-feira, 7 de maio de 2014

FanFic: "Mil vidas te amando" (Livre)





Sinopse: 

Lena é uma garota de 17 anos que e vê perturbada por sombras desde sua infância, até que essas mesma sombras ocultas queimam o seu amigo Talis, em uma tarde de verão, e todos em sua cidade a acusam. Ela é obrigada a partir para um colégio reformatório bem sinistro e é em Wises que tudo começa, é lá que ela conhece ele, seu tudo, seu amado, seu anjo... Michael. Lena descobrirá não só o amor, mas também tudo o que há por trás da história dela e de Michael...  Dois anjos caídos, uma maldição e um amor que durou mil vidas...

Capítulo 1 

"Apresento-lhes Wise"



A jovem de pele muito branca, grandes olhos azuis e cabelos negros que lhe caíam até o meio de suas costas olhou para a faixada da escola reformatória "Wise". Seus olhos marejaram quase que automaticamente, um frio percorreu-lhe a espinha . As paredes pintadas de uma amarelo desbotado e cheia de videiras enraizadas ao redor , não lhe parecia convidativa. Sem falar no intrigante e agoniante aspecto medieval que a estrutura daquele lugar possuía, e o portão de ferro enferrujado, que rangiu assim que o carro de seus pais pararam a centímetros do mesmo.

- É necessário que fique aqui Lena - Seu pai falou em um tom triste.

- Mas saiba que estaremos a alguns quilômetros daqui prontos pra te acolher criança - Foi a vez da mãe de Lena se pronunciar, em voz embargada e engasgada.

- Eu não queria ficar - Lena olhou mais uma vez para a nada convidativa "Wise" e baixou a cabeça.

- É preciso querida , agora dê-nos um abraço - A moça cambaleou até seus pais e envolveu seus braços ao redor deles, logo depois observou-os adentrarem no carro e partirem dali. Ficou parada na estrada de terra densa até o carro fazer a curva e sumir em meio a fina estrada ladeada de árvores. Suspirou fortemente antes de virar-se de frente para o portão e em um empurro decidido transpassou-o. 

Caminhou alguns breves segundos até estar de frente a porta de entrada de "Wise". Essa parecia ainda pior , as paredes laterais à porta estavam mais destacadas e mofadas do que as da faixada da escola, o portão de madeira maciça parecia prestes a desabar, no entanto as trincas e ferrolhos pareciam bons os suficiente para aguentar balas de canhão. Seu tempo de escrutinizar a escola foi interrompido por um pigarro, que fez Lena olhar para seu lado esquerdo.

- Deve ser Lavínia DelRei - O homem calvo, estatura mediana e uma barriga um tanto saliente, perguntou de forma amigável.

- Sim - Foi só o que Lena conseguiu responder.

- Me siga - Ela assentiu e seguiu pelo vasto corredor de entrada. A cada passo que dava ela se sentia mais  e mais em alguma espécie de mansão aterrorizante, daquelas que são bem próprias para filmes de suspense. Agarrou sua mochila com mais veemência enquanto  seguia o homem, o qual ela sequer sabia o nome, escada acima. Ela precisou forçar os olhos para focar no corredor que parecia infinito, estava escuro, claro que havia lâmpadas acessas por onde passavam, mas elas pareciam insuficientes para dar uma iluminação adequada ao ambiente.

Lena permitiu-se olhar para os lados enquanto seguia o 'senhor-calvo-e-sem-nome' pelo corredores, e percebeu que ali deveria ser o dormitório, pois a cada passo que dava inúmeras portas, cada qual personalizada de acordo com seu provável dono, eram visualizadas.

- Esse aqui é seu quarto Lavínia - Ele parou em frente a uma porta pintada de branca e com algumas listras pretas na parte superior. Havia fotografias de alguns artistas e algumas frases que Lavínia não foi capaz de ler, pois teve que voltar a acompanhar o 'senhor-calvo-e-sem-nome' quarto a dentro.

O quarto era simples e nada convidativo. Uma beliche no canto esquerdo, duas cômodas de madeira , que combinavam perfeitamente com a cama, ladeavam um espelho pequeno , mais ao leste do quarto havia outra porta, que ela supôs ser o banheiro.

- Fique a vontade Lavínia, recomendo que leia nosso livro de regras e suas aulas começam amanhã - Alguém empurrou a porta e interrompeu o raciocínio do homem.


- Olá - Uma jovem baixinha e de cabelos loiros e ondulados adentrou o quarto - Você deve ser a Lavínia, eu sou a Zoe, sua colega de quarto - Ela sorriu e estendeu a mão para Lavínia.




- Olá Zoe.

- Bom, Zoe pode mostrar as dependências da escola para você - O homem girou em seu calcanhares e aprontou-se para deixar o quarto - E a propósito me chamo Sr. Maccolyn - Lavínia assentiu e logo depois ele saiu fechando a porta.

Algo no íntimo da garota gritava que ali não era seu lugar.


Capítulo 2

"É ele"


- Venha Lena - Zoe voltou a falar assim que o homem saiu.

- Lena? - Riu - Como sabe que me chamam assim ?

- Eu não sei - Deu de ombros - Agora pare dessa conversa, largue essa mochila e vamos - Zoe apossou-se da mão de Lena e seguiu com ela pelo corredor escuro. Elas estavam em silêncio, mas isso só fazia Lena ter ainda mais pavor daquele lugar então ela resolveu falar.

- Onde estão todos os alunos? 

- Na aula.

- E por que você não está com eles?

- Não nasci para estudar - Riu de forma exagerada.

Lena voltou a fazer silêncio enquanto ambas desciam as escadas , só agora ela notara o quão bem vestida Zoe estava, calça jeans skiny colada, um suéter rosa bebê, brincos reluzentes, belas sapatilhas que combinavam com o suéter e os cabelos muito bem ajeitados. Ela sentiu-se mau pela forma que ela própria estava vestida. Um vestido preto e reto de cetim, bota de cano médio da mesma cor do vestido, cabelos soltos e no rosto nada de maquiagem, além do lápis muito preto ao redor de seus olhos. Ela sempre fora um pouco desleixada para se arrumar, e depois do que aconteceu então, ela não tivera vontade nem de respirar quanto mais de se arrumar.


- Essa é o pátio Lena, daqui a pouco isso tudo estará cheio de alunos - Zoe falou animada , enquanto gesticulava metodicamente apontando para os cantos do lugar.


O tal pátio se resumia a 2 arquibancadas , uma de cada lado do vasto salão, cada qual com 3 degraus, um pequeno palco ao norte do salão e um chão marrom de mármore lustrado. Era nada animador, assim como o refeitório, a quadra de esportes e natação , os jardins mortos da parte de trás da escola, o único lugar que ela supôs que poderia ter gostado se não estivesse tão entediada seria a biblioteca.

- Ainda falta conhecer aquilo ali - Apontou um anexo a construção principal, que não era diferente em nada, era tão mau cuidado quanto todos os cantos desse lugar - É onde temos nossas aulas e também falta conhecer o cemitério - Zoe bateu palminhas e saltitou como se estivesse para lhe mostrar algo realmente interessante.


- Cemitério? - Lena perguntou confusa. Que escola era aquela que tinha um cemitério?

- Sim , isso foi construído em cima de um cemitério, mas sobraram algumas lápides nos fundos da escola. Vamos - Lena seguiu Zoe pátio adentro, minutos depois elas estavam nos fundos da escola, dali já podia ver-se o tal cemitério, que era tão sombrio e assustador como qualquer canto daquela escola. Lena encolheu-se tentando não parecer patética por estar assustada .


- Não quero ir até lá - Disse sem firmeza alguma na voz. Zoe parou e virou-se para ela , mas antes dela argumentar algo do tipo "pare de bobagens" o sinal tocou e ela deu um gritinho de satisfação.

- Vamos, quero te apresentar ao pessoal - Lena voltou a seguir Zoe, rezando para que o quanto antes ela pudesse estar em seu quarto e ficar lá até morrer, se possível.

Quando voltaram ao pátio, o lugar estava lotado de gente. Jovens de todos os jeitos e estilo possíveis, desde roqueiros, punks e repears, até a patricinhas, nerds e 'normais'. Todos vestidos a seu estilo, cada qual em seu grupo. 

- Cheer e Thor , venham aqui - Zoe gritou fazendo Lena olhar para os dois que se aproximavam.

Uma morena de cabelos levemente vermelhos, muito bem vestida e um garoto ruivo aproximaram-se.





- Olá Zoe, quem é ? - O garoto perguntou já sentando ao lado de Zoe.

- Essa é Lena, a nova aluna .

- Prazer Lena, eu sou Cheer - Apertou a mão que a ruiva lhe estendeu e sorriu.

- E eu sou Thor - Ela repetiu o cumprimento com o garoto.

- Vamos dar um rolê, você não vem?

- Depois - Cheer e Thor levantaram-se, deixando Zoe e Lena sozinhas novamente.

- Eles são legais.

- São sim - Suspirou - Então por que está aqui Lena? - Zoe perguntou despreocupada.

Lena enrijeceu instantaneamente, a última coisa que ela queria falar em sua vida era o 'por quê' de está em uma escola reformatória.

- Já entendi, não quer falar? - Lena assentiu.

Nesse exato momento Lena vagou o olhar pelo salão e viu em meio a um grupo de garotos sorridentes ... ELE... Vestido em um jeans desbotado e um suéter azul-marinho, sapatos bem lustrados, cabelos cacheados, que estavam presos atrás de sua cabeça, olhos muito negros, pele muito branca, sorriso iluminado, ele era alto e magro... ahhh e movia-se de uma forma tão envolvente como se levitasse. Ele foi como um ponto colorido no mundo preto-e-branco de Lena, ele a fez sorrir depois de dias e ela nem sabia o por quê do sorriso, ela ao menos sabia o nome dele.

Ainda tentando assimilar a estranha sensação de dejà vu ela cutucou Zoe.

- O que é ? 

- Quem é ele? - Apontou para o garoto.



- Ele é o Michael.

Capítulo 3

"Um péssimo começo"


- Ele é...

- Lindo - Zoe completou - Eu sei , mas eu prefiro o Sean - A loira apontou um branquelo de cabelo cheio de dreads , que estava ao lado de Michael.



Lena estava impossibilitada de desviar os olhos. Ele era tão gracioso, encantador, a forma como sorria prendendo o lábio inferior entre os dentes , o jeito peculiar que ele gesticulava e quando gargalhava seu tronco inclinava-se minimamente para frente e um cacho caía sobre seus olhos. A garota até entendia por que estava tão encantada, afinal ele era lindo, mas não entendia a agoniante sensação de dejà vu que ela sentia enquanto o observava.

Michael parecia entretido demais com seus amigos e até agora não notara a presença de Lena.

- Olha lá Michael, a aluna nova não para de te olhar - Sean o cutucou. No mesmo momento  Michael virou-se para encarar a jovem de qual Sean falava. Seus coração falhou uma batida... era ela , de novo. Foi impossível não sorrir no primeiro momento, e ele pode observar que seu sorriso foi retribuído pela jovem, mas tão rápido quanto o momento de alegria ao vê-la , veio o momento de raiva. Ele levantou a mão e deu-lhe o dedo do meio, o sorriso no rosto de Lena morreu, os amigos de Michael riram dela.

- Pelo jeito o Michael não curtiu seu sorriso, estranha - Uma morena de cabelos curtos e pretos zombou aos se aproximar.




- Vá se danar Kenny - Zoe esbravejou - Venha Lena - Ela segurou a mão de Lena e arrastou-a para fora do pátio - Não ligue para ele, o Michael é assim mesmo.

Lena deu de ombros, não havia nada que ela pudesse fazer a respeito. Ela culpou-se por achar que um garoto como Michael a paqueraria, se fosse ainda em outros tempos quando ela vestia-se como uma californiana comum e alegre, mas agora, quem em sã consciência olharia para uma...

- Estranha - Completou tristemente em voz alta.

- Não ligue para Kenny também, ela gosta de menosprezar os novatos - Zoe sorriu ternamente.

- Obrigado Zoe, você tem sido legal - Lena queria sorrir em forma de agradecimento, mas simplesmente não conseguia.

Ela estava olhando para baixo, para ser mais exata, ela olhava para as botas que calçavam seus pés. Se achou ridícula pela enésima vez só aquele dia... botas? Por que ela calçou botas? 

O corpo de Lena trombou com o de alguém.

- Wow vai com calma princesa - Uma voz masculina disse divertida.

Lena levantou os olhos para ver em quem ela tinha trombado e foi inevitável não arregalar os olhos diante do garoto a sua frente.

Ele era alto, quase o mesmo porte físico de Michael, porém um pouco mais malhado. Cabelos loiros e longos, olhos incrivelmente verdes contrastavam com sua pele bronzeada.




- Não me apresenta a sua amiga Zoe - Ele disse olhando-a e sorrindo.

- Essa é...

- Lavínia, mas pode me chamar de Lena - Apressou-se em dizer.

- Seu nome é tão lindo quanto você - Ele segurou a mão pálida e fria de Lena e levou até seus lábios - Sou Dan, prazer - Beijou a mão dela de forma lenta e sedutora.

- Aí Dan a garota mal chegou e você já está jogando charme nela?

- Encantei-me com tamanha beleza - Ele ainda tinha os olhos fixos em Lena e um sorriso arrebatador nos lábios - Quem sabe você não aparece na minha festa no fim de semana, Zoe a leva.

- Eu irei - Lena assentiu, sentindo-se atraída pela simpatia do jovem.

- Eu levo ela Dan , agora vaza .

- Tchau princesa, te vejo na aula amanhã - Ele piscou  afasto-se delas.

Lena sentiu-se ainda mais confusa , primeiro Michael a atraiu e agora Dan. Certo que foram formas muito diferente de atrações... Bom, ela decidiu esquecer por agora.

Capítulo 4

"Dificuldades, encontros, incertezas"


Lena arrastou-se para fora da cama quando seu despertador soou de forma insistente. Olhou ao redor e viu a loira simpática já vestida dentro de uma calça de jeans preto, um suéter azul marinho com o nome "wise" bordado no lado esquerdo do peito, muito maquiada e penteada.

- Acordou, dorminhoca - Ela sorriu ternamente e pela primeira vez Lena perguntou-se o por que de alguém que parecia tão legal e rica estar em uma escola reformatória? e ainda mas aquela escola - Vista isso - Ela jogou-lhe um suéter igual ao que ela vestia para Lena.

- Não demoro . Me espera, por favor.

- Claro .

Lena caminhou para o banheiro e 10 minutos depois saiu de lá vestida também em uma calça jeans preta, o suéter , amarrou os cabelos em um rabo de cavalo e calçou suas botas.

- Vamos - Ela apanhou a mochila negra que descansava em uma poltrona e seguiu Zoe pelos corredores de "wise". Ela se pegou rindo algumas vezes durante o trajeto, rindo do jeito espalhafatoso de Zoe e sentiu uma pontada de inveja ao ver como todos gostavam dela.

Lena lembrou-se então que além de seus pais e de sua melhor amiga Duda ninguém gostava dela. E depois do que aconteceu com Talis tudo pirou, a chamavam de louca, assassina, psicopata ... Uma infinidade de adjetivos que ela arrepiava só em lembrar. E de fato as vezes ela achava-se louca, jamais entendera o fato de sempre ver sombras a persegui-la desde que ela consegue lembrar-se, e o que dizer do estranho incêndio na cabana que ela estava com Talis? Ela sentia-se tão culpada pela morte dele, seu bom amigo Talis queimara em sua frente , misteriosamente, sendo engolido por aquelas malditas sombras e ela nada pôde fazer.

- Acho que nos separamos aqui, você tem aula de religião e eu de biologia - Zoe falou tirando Lena de seus pensamentos angustiantes.

- Não queria ficar sozinha - Disse desanimada ao encarar a sala onde ela deveria entrar.

- Sinto muito - Zoe deu de ombros - Nos encontramos na aula de ciência, fique bem - Ela saiu saltitante. Lena entrou na sala e assim que o fez pode constatar no canto direito, próximo a ela , silhuetas conhecidas. Sean, Kenny, Michael e mais dois rapazes estavam sentados em cima das cadeiras. Ela perdeu-se no olhar negro dele , mas tão rápido lembrou-se de ontem, então desviando os olhos ela tentou passar pelo grupo. Seus pés trombaram no de alguém e ela caiu de joelhos no chão, amortecendo a queda com as mãos. Gemeu pela dor fina em seus joelhos. Mas antes que ela pudesse reunir forças para se levantar sentiu algo gelado em sua cabeça, haviam derramado suco nela.

- É de maracujá , estranha - Ela levantou a cabeça e viu Kenny parada em sua frente. Seus olhos arderam pelas lágrimas que os encheram, então ainda sem se levantar ela vagou os olhos até o grupo que ria timidamente e viu que Michael nem sequer havia movido um dedo para ajudá-la a sair daquela situação ridícula, ele estava olhando-a com uma expressão ilegível.

- Vocês são uns idiotas - Alguém grunhiu próximo  a ela - Dá o fora Kenny - Ela viu a loira angelical empurrar Kenny e estendeu-lhe a mão. Ela segurou a mão da moça e saiu dali com ela.

- Muito obrigado - Disse com a voz embargada.

- Não há de que - Sorriu e automaticamente Lena lembrou do sorriso de Zoe - Sou Carole e você deve ser a Lena.


-Sim.

- A Zoe me falou de você. Acho melhor subir e trocar de roupa , volte para as aulas da tarde.

- Mas eu não posso perder as aulas.

- Aqui todo mundo perde aula, o tempo todo, vá tranquila - Lena assentiu e subiu quase correndo para a ala de dormitórios . Tomou banho para tirar todo o suco de seus cabelos e vestiu um pijama de flanelas cinza, não teve ânimo para secar ou pentear seus cabelos, apenas sentou-se em sua cama e permitiu-se chorar. Chorar pela morte de Talis, chorar pelas cartas chamando-a de assassina que ela recebeu, chorar por estar longe de seus pais e de Duda, chorar por estar naquele lugar horroroso, chorar pelas sombras que a espreitavam, chorar por ter sido humilhada ... Ela era uma das pessoas que mais tinha motivos pra chorar nesse mundo. Ouviu batidas na porta, decidiu ignorá-las, mas as batidas continuaram ainda mais insistentes. Ela limpou o rosto com a manga de seu pijama e foi atender a porta.

- Olá princesa - Dan adentrou o quarto sorridente.

- Que faz aqui Dan? Deveria estar na aula .

- Acha mesmo que eu assisto aulas ? - Ela o olhou, calça jeans rasgada nos joelhos, camisa preta de alguma banda de rock, jaqueta de couro, botas pesadas ... é , ele não parecia um cara que gostava de estudar.

- Não .

- Viu, até você percebeu - Sorriu - Que tal se déssemos uma fugida para um piquenique?

- Fugida? Piquenique? - Repetiu debilmente.

- Sim, minha bolsa está cheia de guloseimas e posso apostar que não comeu nada. Vamos?

- Assim? - Ela perguntou apontando para si própria.

- Para mim você está linda, de verdade - Ele aproximou-se e entregou-lhe o suéter/farda da escola - Mas vista isso pois está frio lá fora - Ela deslizou o suéter pela cabeça - Posso - Perguntou apontando para a mão dela .

- Pode - Assentiu estendendo a mão para ele.

Dan era completamente cavalheiro, preocupado, bonito e sedutor. Mas era o rosto de Michael que não saia de sua cabeça, mesmo sem querer era nele que ela pensava e ela gostaria que ele a tratasse como Dan tratava... Lena estava tão confusa.

Capítulo 5 

"Dan"


Dan caminhou de mãos dadas a Lena até atingirem o pátio da escola, no caminho até lá eles seguiram em silêncio. Lena o olhava de quando em quando e o vislumbrava em um sorriso tranquilo.

- Ficamos aqui - Ele disse fazendo charme com seu cabelo .

- Não há perigo? Se formos pegos?

- Se formos pegos , não vai ter nada demais , além de uma detenção sem importância - Ele piscou - Esqueça um pouco, te trouxe aqui para que você relaxe e esqueça de todos o seus problemas, inclusive o que aconteceu pela manhã .

- Você soube ? - Lena perguntou tristemente, enquanto ajudava-o a estender uma toalha vermelha no chão.

- Soube - Deu de ombros - Pena eu não estar lá para ajudar...

- Michael estava - Ela divagou sem nem sequer se dar conta.

- Michael é um idiota, deveria manter-se longe dele - Dan grunhiu, saindo da sua costumeira calma.

- Não entendo por que ele me olha feio - Balançou a cabeça negativamente - Você sabe algo sobre Michael?

- Lena, não te trouxe aqui para que falássemos naquele.... - Respirou fundo para dissipar a evidente raiva - Vamos mudar de assunto? - Lena assentiu apenas para tranquilizar Dan, mas  a coisa que ela mais queria agora era falar em Michael. E ela nem se quer entendia o por que disso.

- Por que está aqui Dan? - Ela perguntou tranquilamente enquanto o observava encher uma xícara de café.

- Não sou um cara muito comportado - Riu - Os motivos da minha estadia aqui são vários - Lena assentiu .

- Não vai me perguntar o por que de eu estar aqui ? - A jovem já havia se habituado a pergunta, estranhou o fato de Dan não ter lhe perguntado nada.

- Eu sei por que está aqui - Lena arregalou os olhos e soltou o copo de suco de qualquer jeito.

-c-c-co-c-omo sabe ?

- Já te disse que não sou um cara comportado e um dos meus robes é vasculhar registro de alunos novos .

- Não tem medo de mim? - Perguntou abismada.

- Medo? De você? - Riu torto - óbvio que não.

- Quem mais sabe?

- Garanto que não apenas eu, não sou  único a invadir aquele lugar.

Lena sentiu um frio em sua espinha e seu medo da sua história se espalhar foi tão forte que causou-lhe náuseas. Michael poderia saber . Mas por que lhe incomodava tanto o que ele iria achar?

- Não precisa se preocupar Lena, eu estou aqui pra você - As palavras de Dan pareceram tão persuasivas e escandalosamente infiltrantes que Lena estremeceu.

- Dan, venha aqui - Cheer chamou de forma irritada, Lena não entendeu.

- Já volto - Ele pôs seu sorriso no rosto e desceu as arquibancadas para encontrar Cheer. Lena os observou em uma conversa nervosa, mas não por muito tempo, pois sentiu sua mão ser puxada por Zoe.

- Vamos sair daqui - Foi só isso que a loira lhe disse.

- Mas o que há Zoe? - Lena perguntava enquanto Zoe a arrastava de volta para o quarto.

- Não deveria estar lá com Dan - Ela disse com a mão na cintura.

- Eu converso com quem eu bem entender - Lena irritou-se e ao virar-se bruscamente para se afastar de Zoe , esbarrou em alguém.

- Presta a atenção sua estranha - Kenny rugiu a centímetros do rosto de Lena - Sabe querida Lavínia - Pôs um sorriso maldoso nos lábios - Eu estive na secretaria e andei lendo seus registros . Quer dizer que além de estranha é assassina. Matou seu amiguinho da forma mais cruel e agora o que pretende atacar Dan? Se bem que vocês formam um ótimo par a assassina e o delinquente - Lena estava aterrorizada , humilhada, acabada com cada palavra que Kenny disse-lhe, mas ela ainda tinha força para fazer algo, ergueu sua mão e estapeou o rosto de Kenny, que caiu no chão com o golpe.

Mas rápido do que ela pode assimilar um grupo de alunos formou-se em volta delas e iniciaram um coro de "briga, briga" . Kenny ainda estava no chão parecendo surpresa pelo tapa que recebeu, Zoe puxou Lena de perto dela e segundos depois, Vincy , a coordenadora , aproximou-se delas e decretou:

- Mas que inferno está acontecendo nessa escola hoje ? Primeiro tenho que separar uma briga no pátio entre Michael e Dan e agora vocês ? - Gritou - Kenny e Zoe me sigam, e você novata detenção amanhã, as cinco da manhã - O grupo de alunos envolta dela se dissipou e ela se viu sozinha. 

Desanimada e sobrecarregada subiu para seu quarto, cansada demais para olhar para qualquer direção que fosse . As palavras de Kenny haviam mexido em sua ferida , a repreensão de Zoe havia a deixado irritada e o companheirismo de Dan havia a deixado entorpecida. Eram muitos sentimentos para assimilar e ela só estava naquela escola a 2 dias.

Antes que ela pudesse chegar em seu quarto ela ouviu alguém chamá-la.

- Lena - Quando virou-se ela encontrou Dan correndo em sua direção - Eu soube da briga, você está bem ?

- Estou . Também soube que brigou - Ela o olhou e viu um pequeno corte em seu supercílio - Está machucado .

- Não se preocupe , estou bem - Sorriu - Agora descanse - Ele puxou-a para o calor dos seu braços e ela permitiu-se afundar naquele abraço quente e reconfortante. Dan afagou carinhosamente seus cabelos e depois de beijar-lhe  atesta a soltou e seguiu de volta para o corredor escuro rumo as escadas.

Lena apenas escorregou até a cama e permitiu-se dormir, e tentar esquecer tudo.

Capítulo 6

"Primeira aproximação"


O celular de Lena despertou exatamente as 5 da manhã . Ela cambaleou até o banheiro para arrumar-se o mais depressa que conseguisse e seguir para a detenção. Zoe havia dito-lhe ontem que a detenção era aplicada no cemitério, talvez para aterrorizar os alunos_ Foi o que Lena pensou.

"Onde Zoe se meteu" _ Perguntou pra ninguém.

Colocou-se dentro da calça jeans e do suéter preto , escovou os dentes e prendeu os cabelos em um rabo-de-cavalo. Quando saiu do quarto o relógio já marcava 5:10 , estava um pouquinho atrasada, mas nada tão grave assim.

Quando avistou o pequeno portão enferrujado que dava passagem para a entrada do cemitério, sentiu seus pêlos arrepiarem. Lembrou-se que ainda não havia entrado ali e percebeu que ainda estava com medo. Tentou não pensar muito e marchou até o lugar, ao empurrar o portão enferrujado o mesmo rangeu de forma agoniante e assustadora. Lena olhou ao seu redor e não viu ninguém, abraçou-se a si mesma e voltou a caminhar. Por entre a névoa que turvava sua visão ela finalmente pode ver silhuetas. Esgueirou-se por entre as lápides, não prestando muito a atenção para não sentir mais medo e segundos após já estava em frente ao grupo de alunos , estavam sentados em cima dos túmulos, pareciam entediados e raivosos.

- Nos fez perder 20 minutos coisinha - A voz enjoativa de Kenny ecoou pelo lugar -  Se acha mesmo importante para se dar ao luxo de se atrasar.

- Mas foram só 20 minutos .

- Que fazem toda a diferença - Michael dirigiu-se a ela e Lena sentiu seu coração contrair-se com aquela pequena frase, apenas por que ele tinha se dirigido a ela.

- Chega de discussões - A voz de Carole soou suave - Vamos aos trabalhos garotos. Formem grupos de 2 e comecem a limpar o cemitério, volto antes das 9 e quero algum trabalho feito - Carole caminhou elegantemente em seu salto alto e vestido justo e branco. Sorriu simpaticamente ao passar por Lena.

Lena observou os grupos sendo formados: Sean e Kenny, Cheer e Michael, Thor e Dan, e ela e Zoe. Cada um escolheu um túmulo em particular e passaram a limpá-los.

- Por que não me acordou? - Lena perguntou a Zoe.

- Não estava no quarto - Respondeu sentando no túmulo e jogando os materiais de limpeza em um canto qualquer. Lena ponderou perguntar onde ela passou a noite.

- Não vai limpar?

- Acha mesmo que quebrarei minhas unhas limpando essa coisa nojenta? - Apontou para a lápide que ostentava uma estatueta angelical em cima.

- Mas...

- Ahh você sempre usa essa palavra, relaxa garota - A loira saltou de onde estava e caminhou para longe de Lena. Logo juntou-se a Kenny e Sean que conversavam , também deixando o trabalho de lado. Thor , Cheer e Dan , estavam sentados em outro canto tomando café e rindo de alguma piada feita por Dan. Os olhos de Lena captaram a imagem que ela mais gostava naquela escola, Michael,  ele era o único além dela que estava trabalhando. Tinha livrado-se da jaqueta de couro preta e do suéter/farda da escola e agora estava apenas com uma fina camiseta branca, estava escovando a lápide, trabalhando arduamente. Lena sorriu abobalhada e não conseguiu mais tirar os olhos da cena. Ele levantou os olhos e a viu olhando .

- Trabalhe - Disse, mas não parecia irritado ou incomodado pelos olhares dela e sim divertido. Lena atrapalhou-se pegando os materiais de limpeza e só então passou a dedicar-se também ao seu trabalho. O sol começou a despontar no horizonte deixando o cemitério com um ar menos horripilante . Ela estava realmente empenhada em livrar a estatueta de anjo de toda aquela sujeira, porém uma silhueta sombreou-a e ela teve que olhar quem estava parado logo atrás dela.

- Fica uma graça trabalhando - Ele sorriu e Lena quase deixou a escova cair no chão. Sentiu uma gota de suor descer por sua testa, ela sempre ficava tensa perto dele - Acho que começamos errado , não foi? 

- É, acho que mostrar o dedo não é um cumprimento muito simpático - Michael riu, foi uma risada curta, apenas alguns segundo, mas Lena perdeu-se no branco dos seus dentes, nos lábios carnudos entre abertos.

- Desculpe por aquilo... eu não estava em um bom dia - Lena assentiu - Vamos fazer diferente. Sou o Michael - Ele estendeu a mão para ela. A moça jogou a escova em um canto qualquer e apertou a mão grande e quente de Michael.

- E eu sou Lavínia, mas pode me chamar de Lena.

- Prazer Lena - Seu nome nunca soara tão perfeito aos ouvidos dela - Vi que fez amigos Lena. A Zoe é mesmo uma garota legal, mas o Dan ... não é boa compania, aquele cara é um idiota.

- Ele diz o mesmo de você - Lena comentou despreocupada , mas arrependeu-se assim que viu que a feição de Michael mudara.

- Só te dei uma dica, faça o que quiser - Ele virou-se para sair de perto dela .

- Hey - Lena segurou o braço dele - Não vá - Pediu . E pela primeira vez ele olhou-a, dessa vez de forma diferente, ambos olharam-se nos olhos, profundamente e só então Lena percebeu que os olhos muito negros dele agora estavam cinzas, um cinza muito brilhante e hipnotizante.

Ela sentiu o chão abaixo de seus pés tremer , Michael aproximou-se de modo que agora ela podia sentir até sua respiração impactando contra seu rosto, a quentura de seu corpo por baixo da camisa dele, e até o cheiro dos seus cabelos . Então ela sentiu o frio sopro em sua nuca, olhou para cima e lá estavam elas, as sombras, pairando como uma nuvem negra acima dela e Michael . Pareciam tão negras e maléficas como quando essas mesmas sombras queimaram seu amigo Talis. Ela teve vontade de gritar e agarrar-se a Michael, mas teve medo dele achá-la louca, teve medo da sombra fazer algo com ele, mas todos os seus pensamentos foram interrompidos pelo balanço do chão mais uma vez e tão rápido quanto seus olhos puderam acompanhar ela observou a estatueta de anjo que estava acima de sua cabeça, desprender-se do túmulo e pender. Ela fechou os olhos e esperou o objeto atingi-la, mas invés disso foram os braços de Michael que a envolvera em um abraço firme, ele puxou os dois contra o chão e espremeu-se na parede para que o objeto não os atingi-se. Quando a estatueta caiu sobre o chão e espatifou-se em mil pedaços Lena abriu os olhos e encontrou os olhos dele brilhando em um cinza prateado, as respirações de ambos estavam descompassadas e os lábios quase se tocando. Lena estava entorpecida.

- Lena , você está bem ? - Dan perguntou e puxou ela dos braços de Michael. Ela teve vontade de estapeá-lo. Ouviu as vozes dos alunos e em seguida Carole e Vincy aproximaram-se afoitas por informações. Ela se pôs nas pontas dos pés para observar por sobre os ombros de todas aquelas pessoas e o viu caminhando abraçado a Cheer , imediatamente sentiu-se triste e desanimada... Ela quase... eles quase tinham se beijado - Lena fale algo - Dan exigiu.

- Estou bem , só preciso ir pro quarto - Ela desvencilhou-se dos braços de Dan e partiu para seu quarto.

Capítulo 7 

"Na cachoeira"



Dois dias haviam se passado . Michael voltou a tratar Lena da mesma forma de antes, quer dizer nem voltou a tratá-la de modo algum, pois muito dificilmente olhava para ela.

Lena estava mais acostumada com a escola, e se "Wise" não fosse tão depreciativa ela poderia ter gostado daqui. Ela gostou da aula de biologia do Sr. Chris, da aula de história da Sra. Adamns, a única aula que lhe incomodara um pouco foi a aula de religião. Ela não entendia muito do tema , pois seus pais nunca optaram por religião alguma e nem a encaminharam pra nenhuma . As salas de aula em "Wise" quase sempre estavam vazias, os alunos dali não eram do tipo que gostavam de estudar e os professores não dava a mínima pra isso... Um modo muito estranho de se educar, foi o que Lena concluiu, ela estava tão acostumada com a antiga escola, onde dividia um quarto com Duda, lá tudo era tão regrado, os alunos não faltavam uma aula sequer e quase choravam quando a nota era menor que um A.

O sinal tocou dando a dica para que os 4 alunos que estavam na sala de saírem. Ela recolheu seus livros e pôs em seu armário, que ficava ali mesmo na sala.

- Foi uma ótima aula não é Lena ? - A professora de religião , Carole, perguntou-lhe.

- Sim Carole.

- É uma ótima aluna .

- Obrigado - Sorriu - Agora tenho que ir .

- Ahh claro. Tenha uma ótima tarde Lena.

-  Você também - Lena apressou os passos para se afastar de Carole, ela gostava da jovem professora , mas achava-a sufocante demais .

Ela caminhou rapidamente pelo corredor pouco movimentado e tão logo já estava perto do pátio quando ouviu alguém chamando-a.

- Lena - Ela virou-se e estacou ao ver quem era o dono da voz. Ele aproximou-se sorridente - Pode vir comigo? - Perguntou .

- Para onde?

- Sei de um lugar lindo aqui. Bom, e sei que gosta de nadar, então ... - Ele deu de ombros.

- Claro, vamos - Ele sorriu e enlaçou a mão dela. A garota ainda não acreditava no que estava lhe acontecendo.

Eles andaram calados, embrenharam-se na floresta que rodeava a escola e 5 minutos de caminhada depois ela escutou o barulho de água.

 - Tem uma cachoeira aqui ?

- Sim .

Eles pararam a beira de um pequeno penhasco, algo em torno de 5 metros de altura.

- Você não vem ? - Desafiou-a já jogando os sapatos e a farda do colégio em um canto qualquer.

- Pular? Aí ? - Ela olhou para baixo .

- É . Ou está com medo ? - Antes de ouvir a resposta dela, Michael pulou do penhasco e ela ouviu o barulho da água chacolhando quando ele caiu. Lena sorriu travessa e também livrou-se das botas e da farda e jogou-se penhasco abaixo. Quando emergiu na água gélida da bonita cachoeira encontrou nadando rumo a uma pedra que estava mais a frente, ela acompanhou-o. Michael sentou-se sobre a pedra e segundos depois ela fez o mesmo. Os dois estavam em silêncio , ouvindo o barulho relaxante da água . Porém Lena não conseguia ficar imune por muito tempo a presença dele, teve de olhá-lo, e ao fazê-lo o viu ainda mais bonito que de costume. A camiseta branca grudava em seu peito, os cachos molhados grudavam na pele branca do seu pescoço, os lábios estavam um pouco trêmulos pelo frio.

- É tão lindo - Exteriorizou seu pensamento.

- Aqui é mesmo belo - Ele desconversou - Lena, eu te trouxe aqui por que tenho observado o jeito que me olha e .... e só queria dizer que não sou um cara pra uma garota como você. Sabe eu sofri por uma garota ... e eu não quero me envolver - Ele, que até então olhava para frente, virou-se para olhá-la - Afaste-se de mim - Os olhos dele pareciam tão tristes ao fazer o pedido.

- Me trouxe aqui só para isso ? 

- É - Ele se pôs ainda mais sério. Sentindo-se rejeitada Lena levantou-se para sair dali, mas pisou de mal jeito na pedra molhada e escorregou , Michael segurou-a a tempo, mas ambos agora estavam próximos, muito próximos, Michael estava sobre ela, a boca a centímetros da dela. Era impressionante como ela sentia vontade de beijá-lo, era quase magnético - Não, eu não posso - Ele levantou-se aturdido e antes de dizer algo pulou na água e nadou para longe. Quando atingiu a outra margem ele saiu da água e Lena podia jurar que no momento que o sol tocou sua pele branca ele havia brilhado, uma luz opaca de um branco prateado... Se achou louca , talvez a dor da rejeição estivesse a deixando assim. 

Ele sumiu mata a dentro deixando-a sozinha. Lena olhou a mata ao seu redor, o quão escura e fria ela parecia , comparou-a a seu coração que parecia tão escuro e frio quanto a mata, logo agora que ela havia pensado que Michael havia prestado a atenção nela ... ele só veio dizer para ela se afastar, mas por que? Será que ele a achava feia? louca? Ela não entendia.

Capítulo 8 

"Festa"


A semana  passou normalmente para Lena. Pela manhã ela ia as aulas, quase todas as tardes ela tinha educação física e a noite ela passeava pelo pátio da escola ladeada por Zoe ou Dan. Michael havia voltado a tratá-la como sempre, ou melhor não se tratavam por que ela raramente o via e quando isso acontecia ele se esquivava.

- Hey pára de babar - Zoe zombou.

- Não enche Zoe - Suspirou audivelmente .

- Você gosta mesmo dele não é?

- Está tão visível assim?

- Muito.

- O que sabe sobre ele?

- Bom, sei que é a terceira vez que ele está por aqui, sei que ele é orfão, sei que ele nunca fez nada de grave, apenas pichou algumas paredes, saqueou um supermercado... coisas assim - Deu de ombros.

- E sua amiguinha? - Lena apontou para Cheer que estava enganchada em Michael - Por que ela não larga ele?

- Isso terá de perguntar a ela - A loira agarrou a mão de Lena - Agora vamos, precisamos nos arrumar para a festa de Dan, ele é o melhor em festas.

- Ele não se preocupa em ser pego?

- Você acha que Dan importa-se com algo?

- Não - Riram

(...)

Lena olhou pela janela de seu quarto a noite escura e sem estrela de sábado que rodeava "Wise", respirou o ar frio da noite e vislumbrou um casal apaixonado beijando-se encostados a parede próxima ao cemitério, ela levou os dedos até seus lábios na esperança de lembrar-se como era ser beijada, mas a única lembrança que passou em sua mente foi a que o único menino que tentou beijá-la morreu queimado.

- Ande logo com isso Lena, ou nos atrasaremos - Ela acabou de pentear seus cabelos, mas não olhou no espelho pra conferir como estava, ultimamente não gostava do que o seu reflexo mostrava.



- Uauuuu, não é a toa que tem dois gatos aos seus pés .

- Eu só sei de Dan.

- Michael também te quer bobinha, por algum motivo ele foge, mas é nítido que ele também gosta de você.

- Bom, vamos - Lena mudou de assunto, pois falar nele fazia-na lembrar da tarde na cachoeira e reviver a dor da rejeição.

Ambas caminharam pelo corredor pouco iluminado da escola, ao virarem a esquina vislumbraram a placa com o nome "dormitório masculino". Lena logo viu a movimentação intensa e o barulho de música. 

Caminharam mais rapidamente e assim que estavam na porta do quarto Dan veio recepcioná-las, quer dizer veio recepcionar Lena.

- Olá princesa, achei que não viria - Abraçou-a - Está linda, a mais bela da festa com certeza - Sorriu sedutoramente.

- Obrigado Dan - Lena sorriu sentindo suas bochechas corar.

- Ohh Dan você é tão patético - Zoe zombou - Lena vou chegar ali - Apontou para Sean - Qualquer coisa grita.

Zoe e Dan se encararam e a loira afastou-se.

- Vamos querida - Dan enlaçou a cintura dela e carregou-a festa adentro - Quer beber algo ?

- Uma coca-cola , por favor .

- Vou buscar pra você, não saia daí - Assentiu.

Lena sentou-se para esperar a volta de Dan. Passeou os olhos pela festa, cada aluno em seu grupinho particular, uns bebiam, uns dançavam em um pequena pista de dança do outro lado do quarto , casais estavam aos beijos por toda parte. Mas seus olhos deteram-se nele, sempre ele, Michael. Ele estava vestido em uma calça jeans, suéter azul, seus cachos estavam soltos. Michael olhou-a tão intensamente que ela sentiu-se estremecer.



- Aqui sua bebida - Dan apareceu em sua frente entregando-lhe o copo de bebida - Vamos dançar ? - Ela assentiu, bebeu um gole de sua coca, deixou o copo sobre a mesinha e seguiu com Dan para a minúscula pista de dança. 

Uma balada mais lenta começou a tocar , Dan aproximou o corpo de Lena ao dele e segurou firme sua cintura, os rostos estavam quase colados. Por um momento ela fechou os olhos para apreciar a sensação de persuasão que Dan lhe trazia, sentiu o cheiro dele e sua respiração descompassou-se. Um barulho... ela abriu os olhos e o viu a encarando, parado a pouco mais de 2 metros de onde ela e Dan estavam , os punhos fechados e a cara de raiva eminente dava a impressão de que interromperia a dança e armaria uma confusão, mas não foi o que ele fez, pois Cheer apareceu em sua frente e puxou-lhe a mão o levando dali. Ele ainda olhou para trás e olhou-a duas vezes, e ela viu dentro dos olhos dele não apenas raiva, mas decepção.

- Dan - Ela empurrou o jovem que estava cada vez mais grudado a ela - Eu vou falar com Zoe, não demoro - Saiu a passos rápidos dali, antes que Dan a enchesse de perguntas.

Se esgueirou por entre os corredores para seguir Cheer e Michael sem ser vista , até que ela ouviu os passos dos dois sessar.

- Mas Michael ..

- Não adianta Cheer, será que não vê ?

- Meu querido, você sabe que tem a mim, sempre não é ?

- Eu sei ... eu sei Cheer - Depois disso se deu um breve silêncio e Lena imaginou o que estaria acontecendo, provavelmente estavam se beijando para selar a declaração de amor.

Juntou o pouco de força que ainda existia nela e afastou-se.

- Vou deixar o casalzinho em paz ... - Disse a si mesma.

Caminhou para o seu quarto o mais depressa que pode e assim que fechou a porta atrás de si caiu em um pranto inconsolável... Michael mentiu pra ela na cachoeira, ele disse que ela deveria se afastar por que tinha sofrido e não corresponderia ela, mas ele correspondia Cheer. Por que ela tinha que gostar dele? Por que ela desejava loucamente beijar aqueles lábios ? Por que ele a rejeitava tanto ? Por que Cheer e não ela ? Foi com a cabeça cheia de perguntas que ela adormeceu.

Uma brisa suave farfalhava seus cabelos negros, um extenso mar era banhado pela luz da lua, nada estava ao redor de Lena, mas ela não sentia-se sozinha.

- Lena - Ela virou-se e lá estava ele, Michael, vestido em uma calça branca de linho, o peito nu, e impressionantes assas brancas e resplandecestes emolduravam suas costas. Lena estava hipnotizada, encantada. Levantou-se do chão e aproximou-se dele, sua mãos trêmulas ergueram-se para tocar as assas de Michael, e elas eram como veludo, o veludo mais macio que possa existir... as assas dele tremeram ao seu toque e ele gemeu.

- Você é lindo - Ela disse - Por que me deixa sozinha Michael? Eu preciso de você - Ela abraçou-o sentindo a quentura do corpo dele.



- Eu amo você Lena, mas não posso ... não posso - Uma lágrima desceu por seu rosto e ele afastou-se dela, segundos depois Michael era só um ponto brilhante no céu, ele tinha voado pra longe dela, até nos sonhos ele fugia de Lena ...

Capítulo 9

"Dan é tão cavalheiro, atencioso, gentil... mas não é Michael"


Lena inclinou o corpo e deitou-se na carteira de madeira a sua frente. Sem dúvida alguma, ela estava sem nenhuma paciência para assistir aulas esses dias. As palavras de Cheer para Michael não saiam de sua cabeça, o jeito como ele tratava Cheer, o jeito que a obedecia e o jeito como ele a ignorava... Ela só queria um pouco de paz, voltar para casa e esquecer dessa escola, dos alunos dessa escola , em especial esquecer Michael, mas será mesmo que ela o esqueceria ? 

Ela não entendia o por que de Michael parecer tão irritado quando ela estava dançando com Dan se ele estava com Cheer. Ela nem sequer entendia o por que de Michael estar na festa de Dan, já que os dois não se suportavam ... ahh e sem falar do estranho sonho que ela teve com Michael, no qual ele era um anjo . Lena não poderia se sentir mais confusa.

- Lenaaa - Zoe entrou no quarto gritando.

- O que foi ? - Perguntou assustada

- Você não sabe o que descobri na biblioteca sobre o Michael.

- O que ? Fala logo - Puxou Zoe para sentar em sua cama.

- Michael ... Bom , quer dizer , um antepassado de Michael escreveu um livro ... e - Suspirou para recuperar o folego - e ... Você precisa ver aquela coisa.

- O que tem nesse livro ? E por que não o trouxe ?

- Melhor você ver, e não trouxe por que estranhamente a Carole não me deixou trazê-lo e quase teve um ataque quando me viu com ele nas mãos.

- Que estranho ... - Franziu o cenho.

- Muito estranho - Concordou - Vamos lá agora - Ambas correram corredor afora e em menos de 2 minutos já estavam na biblioteca. Partiram para o departamento de ' história antiga' e assim que estavam de frente para a prateleira onde Zoe tinha deixado o livro , alguém pigarreou atrás delas.

- Procurando algo meninas ? - Carole estava parada atrás das garotas, com um sorriso simpaticíssimo nos lábios.

- O livro que eu estava vendo ainda a pouco 'Mil vidas te amando' , de M. Jackson , onde está ?

- Alguém acabou de levá-lo - Disse de braços cruzados .

- Mas quem ia querer ler aquilo ? parecia abandonado aqui - Zoe divagou, estranhando a situação.

- Quem o levou ?

- Michael Jackson - As meninas se entreolharam.

- Obrigado então Carole.

- Disponha - Zoe segurou a mão de Lena e arrastou-a dali.

- Muito estranho isso Lena, a menos de 2 minutos o livro estava ali - Balançou a cabeça em negativa.

- Mas o que tinha de tão importante nesse livro?

- Uma foto - Arregalou os olhos - Era você na foto, você e ... você e o Mike .

- Hã ?

- Eram vocês em uma foto antiga , com roupas de época.

- Você deve estar confusa Zoe. Certo que te contei que sempre achei que conhecia Michael de algum lugar, mas isso já é demais ...

- Diz isso por que não viu ... - Zoe foi interrompida.

- Olá princesa, e aí Zoe - Ele sentou-se entre as duas meninas - Sobre o que falavam ?

- Não é da sua conta Dan.

- Como você é mau educada Zoe - Grunhiu - Mas não vim falar com você - Virou-se para Lena - Trouxe isso para você Lena - Ele estendeu para ela uma caixinha aveludada.

- Ohh - Disse surpresa. Pegou a caixinha e a abriu. Dentro dela estava um colar muito delicado de uma corrente muito fina e no centro assas negras com bordas douradas - é lindo.

- Sei que combinará com você - Sorriram

- Com licença , estou sobrando - Zoe levantou-se e ajeitou a saia rosa que vestia - Não demore, precisamos terminar esse assunto - Lena assentiu e Zoe afastou-se.

- Como conseguiu Dan? Agente vive preso aqui, não podemos sair pra nada, onde ...

- Shhh - Colocou o indicador nos lábios de Lena , calando-a - Você merece muito mais - Ela olhou dentro dos olhos, que agora pareciam ainda mais verdes e brilhantes - Deixe-me colocá-lo - Ele levantou-se e parou atrás do banco onde Lena estava sentada, afastou os cabelos negros dela e envolveu o pescoço da garota com o bonito colar, logo depois inclinou-se e deu-lhe um suave beijo no pescoço. Lena sentiu-se arrepiar - Amanhã, ás 8 nesse mesmo lugar. Não falte por favor.

Lena sentia-se envolvida por Dan, mas de forma alguma era queria dar-lhe esperanças, só que era difícil para ela dizer não ao único rapaz que a tratava bem ali, e ainda mais se o motivo desse "não" fosse o Michael, o garoto que a rejeitava. Porém Lena era justa e não queria que Dan sofresse, então ela diria o não de uma vez e iria propor de serem amigos, mas quando levantou sua cabeça viu Michael parado a poucos metros dela, ele olhavam pra ela tão tristemente que partiu seu coração. Por que ele parecia se importar se na verdade não dava mínima para ela ?

- Agora eu vou querida - Dan sorriu - Até amanhã - Ele afastou-se muito depressa e mais depressa ainda afastou-se Michael, Lena nem sequer viu qual caminho ele tinha seguido.

(...)

Era domingo em "Wise", como hoje não haveria mais uma festinha no quarto de Dan, não tinha nada pra fazer. Lena sabia que hoje seria liberado 15 minutos para cada aluno em um computador, para que pudessem dar notícias aos pais. Então pela manhã foi o que ela fez, escreveu um e-mail para seus pais e um para sua amiga Duda, depois voltou para o quarto e se pôs a ler um livro qualquer que achou jogado no quarto. 

Antes das 8 Lena estava devidamente arrumada, calça jeans, blusa branca, um sobretudo preto e sua famosa bota. Quando saiu pelo portão frontal da escola sentiu o vento frio atravessar seu corpo, olhou ao redor certificando-se de que ninguém estava vendo-a. Assim que sentou-se no banco um carro preto parou ao seu lado, o motorista abaixou o vidro da janela.

- Dan ? Que faz nesse carro ?

- Entre, vamos dar uma volta .

- Tá louco ? Não podemos sair - Sussurrou - Além do mais o que tenho pra falar posso dizer aqui mesmo.

- Pois lhe digo que não falo coisa alguma aqui. Entre , vamos dar uma volta até um bar que fica a uns 2 quilômetros . Por favor Lena, por mim - Pediu docemente e como sempre Lena cedera.

20 minutos depois ele estavam dentro do diminuto bar, era um cubículo aconchegante, apenas com 5 mesas de madeira, uma prateleira empoeirada de bebida e um freezer branco atrás de um balcão de madeira. Um garçom de quase 2 metros aproximou-se.

- O que vão querer? - Perguntou entediado.

- Uma cerveja para mim e uma coca-cola pra moça - O homem anotou o pedido e se afastou, voltando logo com os pedidos.

- Então ... - Lena tomou coragem pra falar algo, mas Dan a interrompeu.

- Tirou o colar que lhe dei ? - Perguntou olhando-a fixamente.

- Tirei antes do banho e esqueci de colocá-lo - Disse sem graça - Dan, eu só aceitei vir aqui com você por que precisava que você soubesse que entre nós não pode haver mais que amizade... eu ... eu gosto de ...

- Michael - Dan completou - Eu sei.

- E não se importa? Quer dizer você sabe e ainda sim ...

- Eu vou te conquistar Lena, você não é a garota para Michael...

- Ele disse a mesma coisa - Divagou confusa.

- Ele sabe ...

- Sabe de que ? Por que não posso ser a garota de Michael ?

- Não entenderia se eu tentasse te explicar - Suspirou e aproximou seu rosto do dela - Você é tão linda Lena, e eu gosto muito de você, estou disposto a conquistá-la, a dar o amor que Michael não pode dar a você... Se você me permitir eu posso começar por aqui - Ele tocou os lábios de Lena, que se abriram como resposta. Dan não esperou mais, roçou seus lábios ao dela até o beijo aprofundar-se , até o roçar de línguas ficar extremamente envolvente.

- Divide essa gostosa aí o moleque ? - Lena ouviu uma voz grossa soar bem próximo a eles, tirando-os do transe do beijo. Era um homem extremamente alto, musculoso, cheio de tatuagens e piercings, ele cheirava a bebida e a cigarro.

- O que disse ? - Dan levantou-se .

- Não Dan - Lena segurou seu braço.

- Afaste-se Lena - Ele afastou-a e lançou o grandão a sua frente contra a parede, fazendo-o derrubar todas as garrafas da prateleira. Lena não pode deixar de soltar um gritinho de surpresa, o homem dava o dobro de Dan, mas nesse momento apanhava feito um condenado, e Dan batia nele com uma facilidade sobre humana.

- Já chega vai matá-lo Dan - Ela tentou puxá-lo, mas quando ele a olhou os olhos dele estavam em um verde quase negro, Lena sentiu-se amedrontada. Prontamente abriu a porta do bar e saiu quase correndo dali, seus passos foram interrompidos pois ela chocou-se com alguém.

- Michael?

Capítulo 10

"Talvez eu te entenda, algum dia"


- Sua inconsequente. Onde está o idiota do Dan? 

- Lá dentro... - Lena disse amedrontada pelo tom de voz de Michael - Brigando.

- Vamos sair daqui - Ele segurou firme o pulso dela e praticamente arrastou-a até o carro branco que estava parado a poucos metros. Michael abriu a porta para ela e quando Lena entrou ele bateu-a com toda força fazendo o carro estremecer. Deu a volta e logo já estava dentro do veículo acelerando para sair dali.

- Onde arrumou esse carro ? - Lena Perguntou quando eles já tinham alcançado a estrada, Michael ignorou-a - Por que está tão bravo comigo? Como me achou ? e por que veio atrás de mim se nem sequer liga pra minha existência - Ela gritou tudo de uma vez, colocando toda a sua ira nas palavras. Sentiu o carro parar em um solavanco. Michael desceu do veículo e deixou-a falando sozinha - Hey - Lena gritou mais uma vez, ele mais uma vez a ignorou.

Quando ela desceu do carro , avistou-o sentado na areia fria da praia. Ela nem  havia percebido que estavam de frente para o mar, mas também não se ateve a esse detalhe ao perceber o que Michael estava fazendo ali encolhido, ele estava chorando ...

- Me deixa em paz Lena - Pediu no exato momento em que ela aproximou-se e sentou ao lado dele.

- Michael ... desculpa ... eu não entendo, está assim pelo que eu disse? - Perguntou angustiada.

- Você não entenderia - Disse a encarando.

- Por que ? - Lena levou os dedos trêmulos até o rosto de Michael e limpou a lágrima que escorria pela pele alva de seu rosto.

- Estou assim por que você não entende Lena, por que você não percebe que eu amo você, mas...

- Shh - Ela calou-o - Eu não preciso ouvir mas nada - Sorriu tranquilizando-o. E o magnetismo que sempre acontecia quando estavam perto um do outro veio com força total dessa vez, Michael escorregou a mão pelo pescoço de Lena, prendendo um montante de seus cabelos e puxou-a para si... e o beijo aconteceu, o roçar de lábios, o entrelaçar de línguas, a fome que sentiam um do outro. Lena podia sentir um amor crescente infiltrando-se em suas veias, queimando sua pele, comprimindo seu peito, roubando seu ar... Ele segurou os braços dela e a afastou.

- Está bem ? - Lena estranhou a cara de preocupação dele e a pergunta pouco convencional para um cara que tinha acabado de beijá-la.

- E por que eu não estaria Michael ? - Sorriu feito boba. E de repente aquela estranha sensação de deja vù a incomodou de novo.

- Eu amo você Lena, amo - Ele parecia desesperado para que ela entendesse isso, mas Lena não notou essa ansiedade em seu semblante , ela não conseguia focalizar mais nada que não fosse a boca dele, então fez o que mais tinha vontade de fazer naquele instante, beijou-o, como se naqueles lábios estivesse sua fonte de vida.

O beijo tornou-se cada vez mais intenso , os toques cada vez mais urgentes e firmes, as respirações cada vez mais pesadas... eles sabiam onde aquilo ia dar. Lena queria muito aquilo e Michael também é claro, só que ele sabia que se acontecesse não teria mais volta e a triste história de amor dos dois se repetiria, mas ele não iria conseguir resistir, ele nunca conseguiu em outras 999 vidas.

Capítulo 11

"Ama-me"


Michael deslizou seus lábios pela bochecha dela, desceu para o pescoço, local onde deu um beijo molhado e uma pequena mordida. Lena agarrou-lhe as costas ambiciando mais contato. Ele ergueu-se , ajoelhando-se entre as pernas de Lena, então passou a desabotoar a camisa de linho branca, jogou-a em um canto qualquer .

- Meu amor - Sussurrou, os olhos fixos nos dela. Lena levantou-se um pouco para ajudá-lo a tirar sua jaqueta e blusa , logo depois voltando a deitar-se na areia fria da praia. Ele observou-a por alguns segundos, os seios pequenos e intumescidos, a barriga lisinha, a pele alva que quase reluzia na luz da lua, contrastava perfeitamente com os cabelos muito negros e os olhos azuis - Você é tão linda...

- Você também é Michael - Sorriu tímida.

Antes de volta a deitar-se sobre ela, Michael livrou ambos da roupa, agora nada mais os impedia de se amarem.

Os lábios dele desceram pelo colo dela, enquanto uma mão trêmula apertava um dos seios de Lena a outra passeava por suas coxas e os lábios estavam ocupados em beijar-lhe o pescoço. A mão que acariciava a coxa dela passeou entre a parte interna de suas pernas parando em meio a elas. Lena gemeu com tal contato. Michael posicionou-se para invadir sua amada, em meio ao êxtase do momento ele pediu que dessa vez fosse diferente.

E então Lena sentiu-o preenchendo-a aos poucos, apenas uma fisgada a incomodou, mas Michael fez questão de relaxá-la com um beijo intenso. Ela agarrou as costas dele, querendo-o cada vez mais dentro de si. Os movimentos lentos e cadenciados logo aumentaram, assim como a temperatura dos corpos, como as batidas do coração, os gemidos .... tudo estava tão intenso, tão único ... Ela arqueou as costas sentindo os espasmos do prazer invadindo-a e no exato momento ela abriu os olhos e encarou os olhos dele e Lena jamais pensou que pudesse ver algo tão belo, estranhamente os olhos dele estavam cinzas, ela já tinha os visto assim, mas dessa vez estavam mais intensos, mais prateados, mais brilhantes. Suas unhas cravaram na pele branca das costas de Michael e ela gemeu alto sentindo seu corpo tremer ao chegar ao ápice, e ela não se arrependeu de manter os olhos abertos pois assim pode assistir o jeitinho todo especial de franzir o cenho e entreabrir os lábios de Michael enquanto ele chegava ao seu ápice.

Silêncio ... Foi assim que ficaram durante alguns minutos. Lena deitada sobre o peito dele , entorpecida no cheiro doce de Michael, nada se ouvia além do barulho das ondas quebrando, a  lua e as estrelas pareciam ainda mais brilhantes naquela noite. 

Michael apertou-a ainda mais em seus braços quando as lembranças o invadiram, uma lágrima rolou por seu rosto.

- Vamos embora Lena - Disse firme.

- Já ? Está tudo tão perfeito , por mim não volt...

- Por favor vista sua roupa - Ele levantou-se e em silêncio começou a se vestir. Lena fez o mesmo , mas não entendia o comportamento de Michael . Quando ambos estavam vestidos ele segurou a mão dela e guiou-a até o carro. Quando já estavam perto da escola Lena não suportando mais o silêncio voltou a falar.

- Michael o que há ?

- Nada - Disse apenas

- Está arrependido do que fez ? - Perguntou com a voz embargada.

- Não meu amor - Olhou-a - Não é isso. Me deixe quieto um pouco, sim ? - Disse carinhosamente, afagando a mão dela.

- Tudo bem - Calou-se.

Michael levou-a até seu quarto, ao pararem na porta Zoe a abriu e correu para abraçar Lena.

- Sua maluca onde estava? Quase tive um troço pensando que teria se perdido por aí - Ralhou.

- Desculpe - Deu de ombros - Estava com Michael.

- Ué mas você não tinha ido se encontrar com Dan ?

- Não fale naquele idiota - Michael interrompeu.

- Ok, não está mais aqui quem falou - Levantou as mãos em forma de rendição - Você vai me explicar tudo direitinho , te espero aqui dentro - Zoe entrou e fechou a porta.

- Então ... - Lena começou, mas Michael a interrompeu.

- Não vamos falar de nada agora, por favor - Sua voz estava tão afável que Lena derreteu-se - Quero que saiba apenas que tudo que aconteceu entre nós hoje foi verdadeiro, forte e eu ... eu realmente te amo Lena.

- Eu sei que foi verdadeiro , e não me pergunte como eu sei, eu apenas sinto - Suspirou - E acho ... que também te amo Michael - Disse sem olhá-lo nos olhos. Ele levou os dedos até o queixo dela e ergueu sua cabeça, ela sorriu tímida.

- Adoro seu sorriso - Aproximaram os lábios e beijaram-se mais uma vez - Agora vá dormi, até amanhã .

- Até - Ele enfiou as mãos nos bolsos da calça e sumiu pelo corredor do dormitório. Lena ficou parada ali alguns instantes cheia de felicidade, plena de amor, mas com muitas perguntas na mente... ela iria descobrir o que Michael tanto escondia dela.

Capítulo 12

"Agora eu sei"


O despertado soou as 6 da manhã, como sempre acontecia. Lena espreguissou-se exausta, mas não pode deixar de sorrir ao lembrar-se da noite de ontem, de fato ela estava muito cansada não apenas por tudo que aconteceu na praia, mas por que Zoe encheu-a de perguntas até 2 da manhã.

Ela vestiu-se para descer para o refeitório e depois iria para a aula, mas estava decidida que quando saísse iria procurar Michael e teria uma conversa séria com ele, ela precisava saber o que ele a escondia, por que ele a ignorava tanto e por que as vezes ele parecia tão triste, como se amá-la doesse de alguma forma e precisava também saber o que Cheer era dele, afinal eles não se desgrudavam.

(...)

- Zoe viu o Michael ?

- Ele estava com a Cheer, acho que foram para o cemitério.

- Obrigado - Ela tentou sorrir em forma de agradecimento, mas estava brava demais naquele momento. Seguiu o mais rápido que suas pernas lhe permitiu até o cemitério, assim que chegou na primeira fileira de lápides Lena os viu sentados em um túmulo a alguns metros de distância dela. Michael falava freneticamente com Cheer, enquanto ela afagava as mãos dele de forma carinhosa, o sangue de Lena esquentou , e só aumentava a temperatura ao passo que ela se aproximava de Michael e Cheer.

- Lena - Ele avistou-a e logo sorriu, sorriso este que Lena não retribuiu.

- Posso falar com você ? a sós - Fuzilou Cheer.

- Já estava de saída - Cheer pronunciou-se - Não esqueça do que lhe disse Michael - Ele assentiu e antes da morena sair de cena ela deu um beijo na bochecha de Michael.

Lena cruzou os braços e começou seu discurso emburrada.

- Primeira pergunta do dia, que eu exijo que me fale. O que Cheer é sua ?

- Cheer é minha irmã - Lena arregalou os olhos .

- Eu... eu achei que ...

- Sei bem o que achou, mas isto está fora de cogitação. Eu tenho algo pra lhe contar Lena, algo que pode fazê-la entender meu comportamento, mas pode fazê-la sair correndo.

- Eu vim em busca da verdade Michael.

- Venha, sente-se - Lena sentou-se no lugar onde Cheer estava antes e esperou que Michael começa-se, mas ele não o fez.

- Fale Mike - Encorajou-o

- Prometa que vai esperar que eu diga tudo e só então sairá.

- Eu prometo - Disse vacilante.

- Lena, eu te conheço á muitos anos ...

- Eu sabia, as sensações de deja vù... eu sabia que nos conhecíamos.

- Por favor não me interrompa, ou não terei coragem de falar - Lena assentiu - Eu te conheço a mil anos. Lena, somos um casal de anjos caídos . Estamos sob o efeito de uma maldição que rogada a nós a mil anos ... Você nasce , cresce e de uma forma inevitável nós nos encontramos e nos apaixonamos, então você morre e eu ... eu fico sozinho - Michael olhou-a e as lágrimas que estavam presas em seus olhos desceram em cascata por seu rosto - Eu te amei em outras 999 vidas e eu te vi morrer em outras 999 vidas.

- Que espécie de maluquise é essa Michael? Está brincando comigo ? - Perguntou atônita.

- Acha mesmo que minhas lágrimas e a dor estampada em meus olhos parecem brincadeira?

- Eu achei que eu era a louca nessa escola, por que vejo sombras...

- São anunciantes...

- O que ?

- O nome dessas sombras , é anunciantes e elas ...

- Eu não quero saber - Gritou - Pare de agir como louco, acha que vou acreditar nessa história sem pé nem cabeça. Primeiro você age como um mimado me ignorando completamente, depois me diz que sofria por amor e agora isso? Qual vai ser a próxima loucura?

- E não acha que eu sofro por amor? Como você acha que me sinto vendo a pessoa que eu amo morrer centenas de vezes, sem que eu possa fazer nada ? - Gritou em meio as lágrimas.

- Ok - Lena suspirou - Se é mesmo verdade me conte quem nos amaldiçoou? Se sou uma anja caída por que não tenho asas? Por que eu morro sempre e não você? E por que fomos amaldiçoados ?

- Eu não posso contar... 

- Chega! Se afaste de mim, pare de brincar comigo - As lágrimas também desceram pelo rosto de Lena . Ela afastou-se dele, mas antes de atravessar o portão do cemitério ela virou-se e o viu de cabeça baixa, seu tronco sacudia pelo choro compulsivo. Ela sentiu-se o pior ser humano, pensou em votar e abraçá-lo, no fundo, bem lá no fundo algo lhe dizia que ele falava a verdade, mas não , ela não poderia admitir um absurdo daquele. Então virou-se e seguiu para o dormitório.

Sua cabeça girava e seu coração doía. Tudo que ele falou não lhe saia da cabeça e a cena dele chorando dilacerou-a ... Ela queria tanto acreditar nele, mas não podia, não fazia sentido.

- Lenaaaa - Zoe gritou enquanto entrava feito um furacão no quarto - O livro, eu roubei o livro - Trancou a porta antes de sentar-se ao lado dela na cama.

- Que?

- Achei o livro escondido na bancada de Carole, ela mentiu, Carole estava com o livro o tempo todo, você precisar ver e ler isso, é sinistro - Ela entregou o livro de capa marrom e folhas amareladas a Lena e ela o abriu.

Aqueles traços completamente idênticos de ambos, o jeito dele lhe tocar... E ela conhecia aqueles versos que estavam abaixo da foto, ela não sabia como, mas conhecia.

- Ohh - Balbuciou surpresa - Sou eu Zoe. Então ... então era verdade - Ela abandonou o livro e Zoe no quarto e correu de volta ao cemitério, Lena precisava achá-lo.


"Ser criado, gerar-se, transformar
O amor em carne e a carne em amor; nascer
Respirar, e chorar, e adormecer
E se nutrir para poder chorar

Para poder nutrir-se; e despertar 
Um dia à luz e ver, ao mundo e ouvir
E começar a amar e então sorrir
E então sorrir para poder chorar.

E crescer, e saber, e ser, e haver
E perder, e sofrer, e ter horror
De ser e amar, e se sentir maldito

E esquecer de tudo ao vir um novo amor
E viver esse amor até morrer
E ir conjugar o verbo no infinito..."

Capítulo 13 

"A descoberta"


Lena correu o mais depressa que pode pelos corredores escuros da escola,  sentiu o ar frio adentrar seus pulmões assim que alcançou o portão do cemitério. Fora ali que ela deixara Michael chorando a menos de meia hora, mas não era mais ali que ele estava...

- Michael - Gritou, mas não obteve a resposta de quem estava procurando.

- Ele não está mais aqui Lena - Dan falou muito próxima a ela, e Lena perguntou-se como ele conseguiu se aproximar tão rápido sem que ela percebesse.


- Viu para onde ele foi Dan? Preciso muito falar com ele - O desespero em sua voz era evidente.

- Desista de Michael, Lena. Jamais poderão ficar juntos - Disse enigmático.

- O que sabe sobre nós Dan? 

- Eu sei de tudo, absolutamente tudo Lena.

- Mas .. como sabe ? Michael lhe contou ?

- Não - Balançou a cabeça negativamente - Também sou um anjo caído.

- Hã?

- A maioria de nós somos. Cheer, Thor, Sean, Kenny...

- Kenny? Um anjo ?

- Mais ou menos - Riu - Lena, escute o que lhe digo, não se aproxime mais de Michael, você quer mesmo que  a história se repita? Quer morrer queimando em brasas assim que o coração de vocês se unirem completamente? E ademais há algo pior na vida de número mil, e tenho certeza que Michael não lhe contou .

- O que ?

- Quando morrer nessa vida não voltará, nunca mais... Será seu fim Lena, a maldição terá completado seu ciclo de mil vidas e você morrerá e nunca mais irá reencarnar .

Lena sentiu tudo ao seu redor girar, o chão afundar-se embaixo de seus pés e lágrimas saltarem de seus olhos. Ela queria gritar, correr até achar um lugar que ela estivesse livre de tudo, inclusive de seus pensamentos. Suas mãos foram para sua cabeça e ela a apertou tentando extrair dali uma lógica para aquilo que estava acontecendo.

- O que posso fazer pra acabar com essa maldição Dan?

- Nada - Deu de ombros.

- Então eu terei mesmo que morrer?

- Não se ficar ao meu lado - Sorriu matreiramente - Fique comigo Lena e eu te impedirei de morrer, coisa que Michael não pode fazer - Lena olhou dentro dos olhos de Dan e ao mesmo tempo que se viu completamente hipnotizada, sentiu algo de errado nele, Dan parecia quase maléfico.

- Dan...

- Shh - Ele aproximou-se e roçou seus lábios no dela - Apenas fique comigo, fique comigo... - O som da voz de Dan ecoando na mente de Lena era quase como o "canto da sereia" .

- Largue ela seu demônio - Michael surgiu como um furacão empurrando Dan , que caiu a metros de distância de Lena.

- Michael - Ela disse de olhos arregalados, como se tivesse acabado de acordar de uma sessão de hipnose.

Ele a abraçou fortemente e beijou a testa dela. E Lena não esperava mais a cena mais linda que ela já vira em sua vida aconteceu a seguir. Ela sentiu um pequeno impulso e algo sombreá-la, Lena afastou-se e viu... as assas de Michael, estavam desfraldadas atrás de suas costas, eram brancas e de aspecto muito macio, batiam de forma suave ... Ele todo estava envolto de uma luz branca transluzente. 




- Meu anjo - Lena sorriu o encarando, pensando consigo mesma que jamais imaginara ver algo tão belo quanto aquele anjo.

- Acredita em mim ? - Perguntou com os olhos fixos no dela.

- Eu vi a foto no livro e...

Clac clac clac o barulho de palmas tiraram os dois da conversa , Michael repousou uma de suas asas sobre o braço de Lena e trouxe-a para mais perto, quando se viraram viram Dan parado a frente deles. 
Ele também estava com as asas desfraldadas, mas ao contrário de Michael, as asas de Dan eram cinzas, quase negras, mas não deixava de ser belas.

- Sinto muito incomodar o casalzinho , mas tenho algo a resolver com Lena, Michael.

- Fique longe dela Dan - Michael grunhiu

- Ela vai ficar longe de você, sabe por que ? Por que eu contei tudo a Lena, contei o que a maldição faria se ela continuasse com você.

- Lena ? - Michael dirigiu-se a ela, pronto pra acatar qualquer decisão que ela tomasse.

- Não consigo viver longe de você, mesmo que eu tenha de morrer depois, não me importo.

- Eu vou dar um jeito meu amor - Ele acarinhou o rosto dela.

- Não vai - Dan gritou, e seu grito reverberou dentro do ser de Lena de uma forma dolorosa - Você sabe que vai matá-la. sabe que vai destruir todos nós.

- Eu não me importo .

- Mas eu não vou deixar - Dan impulsionou os braços para trás e aos poucos trouxe-os para frente , enquanto falava em uma língua desconhecida e das sombras da noite surgiram anjos de asas negras, Lena jamais vira nenhum daqueles seres ... e só agora sua ficha parecia estar caindo... Dan era um demônio ?

- Lenaaa - Zoe gritou e as atenções viraram-se para a garota pálida, que parecia pronta para desmaiar a qualquer momento - O - o- o- o que é isso ?

Lena não teve tempo de responder pois um vento forte farfalhou seus cabelos e quando ela olhou para cima viu Cheer, Thor e mais uma dezena de anjos todos eles com asas brancas quase tão belas quanto as de Michael. Carole também despontou no escuro do cemitério.

- Michael, eu levo as meninas - Carole se prontificou.

- Vá com ela Zoe e Lena - Cheer disse calmamente, mas percebia-se pelo seu semblante o quão nervosa ela estava.

- Não vou deixá-lo aqui Michael - Disse aninhando-se a ele, em plena paz por estar em seus braços.

- Meu amor - Ele segurou o rosto dela - Vá, não pode ficar em meio a um batalha entre anjos, não quero que nada te aconteça. Confie em Carole. - Beijou-a rapidamente.

- Venha querida - Carole segurou na mão de Lena e praticamente arrastou-a dali, puxava Lena em uma das mãos e Zoe em outra.

- Meu Deus, Lena, eu vi certo ou estou louca ?

- Caladas as duas e andem logo - Lena estranhou muitíssimo o tom de voz de Carole, mas jugou ser apenas o estresse momentâneo.

Antes de entrarem novamente nas dependências da escola Lena olhou para trás, mas nada mais viu além de uma mistura de luz branca e negra faiscando no céu azul escuro. Era algo quase cegante , mas impressionantemente belo. A batalha havia se iniciado e ela temia por Michael...

Capítulo 14

"Impedindo o equilíbrio"


- Por aqui - Carole gritou para as meninas - Andem .

Ambas caminharam ainda mais depressa e depois de passarem por diversas portas, sempre descendo escadas, se viram em um porão fétido e muito escuro, apenas um feixe de luz entrava no local, Lena olhou para cima e viu que a fonte de luz era de um vitral no teto que parecia a muitos metros de altura.
- Onde estamos Carole ? Nunca havia visto este lugar - Zoe perguntou dando um giro para observar o porão. Carole nada respondeu , tateou as paredes até achar um interrupitor e ligar a luz.

O lugar não tinha mais que 10 metros quadrados, estava com algumas teias de aranhas tecidas nos recantos das paredes, mas fora isso parecia estar limpo, o cheio forte deveria ser de mofo, Lena concluiu. Mas ao fundo do cubículo existia um altar de mármore branco, muito bem lustrado, algumas velas bruxelavam suas chamas ao redor do mesmo.

- O que estamos fazendo aqui Carole? - Foi a vez de Lena perguntar. Um barulho a fez virar e  ao fazê-lo ela viu Zoe caída ao chão, a cabeça estava ensanguentada e Carole segurava um lustre manchado de sangue - O QUE FEZ? ESTÁ LOUCA ? - Ela ia abaixar-se para ajudar a amiga, mas também foi atingida e então a escuridão a tomou.

Ela tentou mexe-se quando os sentidos voltaram, mas percebeu-se presa por algo, abriu os olhos e viu tudo a sua frente fora de foco, estava tonta e com a cabeça doendo muito. Respirou fundo para tentar situar-se, assim que olhou para seu lado viu Zoe amarrada e desacordada em um canto qualquer do cubículo e ela própria estava amarrada no altar de mármore que ela vira a minutos atrás.

- Ora, ora , ora a querida Lena DelRei acordou - Carole apareceu em seu campo de visão, em punho uma adaga que parecia talhada em um material rico.

- O que está acontecendo Carole ? - Perguntou aturdida - Por que bateu em Zoe e depois em mim? Por que estou amarrada aqui ? - Moveu os braços tentando soltar-se , em vão.

- Muitas perguntas querida, mas responderei a todas - Sorriu de forma assustadora - Sua amiga está desacordada por que ela pode atrapalhar meus planos, e está amarrada por que não quero que se debata enquanto eu a mato.

-O que ? - Lena quase gritou

- Isso mesmo que ouviu. Sua alma é prejudicial para os anjos caídos, para os clãs do céu , você deve morrer.

- Eu ... eu não entendo .

- Muito simples , se você morrer Michael decide-se por um lado e acaba com o desequilíbrio de anjos.

- Hã ? 

- Terei de explicar do começo - Suspirou - Nos primórdios, antes da queda, não havia céu e inferno, não havia bem e mal. Todos os anjos viviam em paz no céu , até Lúcifer trair o trono e decidir aparta-se do céu, houve os que seguiram ele, houve os que permaneceram ao lado do trono e houve os que não escolheram lado algum. Michael escolheu lado algum e com isso o a "balança" ficou em desequilíbrio , ele tem de escolher um lado e fazer com que esse desiquilíbrio acabe e para ele escolher um lado você tem de morrer - Os olhos da loira brilharam - Eu anseio em te matar Lena, sua alma vale tanto...

- Pare de loucura Carole, me solte - Lena pediu remexendo-se.

- Claro que não - Sorriu - Sua hora chegou Lena - Ela aproximou-se e apontou a ponto afiada da adaga no peito de Lena, bem em cima de seu coração e começou a entoar uma canção numa língua initelegível. Lena estava imóvel, com medo de mover-se e a adaga entrar de vez em seu coração.

- Michael - Chamou baixinho e foi exatamente nesse instante que ela ouviu o barulho de vidro quebrando-se e o local escuro ser envolvido por uma luz resplandescente. Ela abriu os olhos e viu Michael e Cheer adentrando o pequeno espaço, foi questão de segundos para que Carole estivesse presa embaixo do corpo de Cheer e Michael estar bem a sua frente.

- Meu amor - Balbuciou preocupado, logo tratando de desamarrá-la - Ela lhe feriu ? - Michael tocava-a para procurar um possível dano.

- Eu tive tanto medo - Confessou sentindo as lágrimas molharem seu rosto, enquanto agarrava-se a ele.

- Agora estou aqui - Michael acarinhou o rosto dela .

- Solte Zoe - Pediu olhando a amiga.

- Alguém cuidará dela - Disse calmo - Tenho que tirá-la daqui - Lena assentiu . Michael pôs-se atrás dela e abrindo sua assas ergue-a do chão, por instinto Lena agarrou o braço que ele envolvia sua cintura - Você não caíra - A voz doce em seu ouvido a fez se arrepiar - O voo foi curto, nada mais que 15 segundos, mas não pudera ter sido tão mágico e extasiante. Assim que pousaram no gramado lateral da escola ela avistou Thor se aproximando. Observou os traços bonitos do ruivo, percebeu que nenhum deles estavam machucados, nem parecia que tinham acabado de sair de uma batalha.

- Alguma ordem Michael ? - Thor perguntou firmemente - Lena está bem ?

- Sim, está - Michael assentiu - Quero que cuide de Zoe, ela está com Cheer e Carole . Acabem com aquela louca.

- Sim - Disse apenas, segundos após alçou voo e sumiu das vistas de Lena.

- Melhor minha vida ? - Perguntou docemente.

- Minha cabeça dói .

- Vou cuidar de você ... - Ele sorriu e foi impossível Lena não sorrir também, depois de um beijo apaixonado ser dado eles seguiram para o quarto de Lena. Ela tinha muitas perguntas para fazer, muita coisa pra entender, mas deixaria para amanhã, agora ela só precisava dos braços de Michael para ter um pouco de paz.

Capítulo 15 

"Anunciantes: O caminho para o entendimento"


Ela rolou para o lado da cama e seu corpo trombou no de alguém. Abriu os olhos preguiçosamente e lá estava ele, sorrindo, mas angelical do que quisera parecer.

- Bom dia.

- Bom dia - Sorriu bobamente.

- Sente-se melhor? - Ela assentiu - Só deixei que passasse essa noite aqui por que precisava descansar meu amor, mas agora temos de ir.

- Para onde ? - Levantou-se aturdida.

- Vamos para outro colégio, um mas seguro.

- Mas por que temos que sair de "Wise" ? Não posso Michael , meus pais ficarão preocupados e...

- Shh - Michael calou-a com um selinho - Não se preocupe com nada , eu cuidarei de tudo, só não posso mais deixá-la aqui, é perigoso.

- Michael preciso que me explique o que está acontecendo, por que a Carole tentou me matar?

- O que ela te disse?

- Ela me disse algo sobre uma balança , e que você teria de escolher um lado, que eu o atrapalhava.

- Não ligue para o que Carole disse meu amor - Beijou a testa dela.

- Não vai mesmo me esclarecer nada? - Perguntou emburrada.

- Não posso Lena, não ainda - Suspirou pesadamente - Se despeça de Zoe, temos de ir - Ele levantou-se da cama e deixou-a sozinha.

(...)

Lena estava no terraço da escola, a sua frente a horda de anjos que ela descobrira a pouco e sua amiga Zoe.

- Por favor mande notícias e se cuide - A loira disse emocionada , enquanto abraçava fortemente Lena.

- Pode deixar , fique bem - Sorriu.

- Michael , eu fico aqui com Zoe e qualquer imprevisto, Thor o acompanha até a "Angel's".

- Obrigado por tudo Cheer - Sorriu - Olho vivo no Dan.

- Sempre juntos irmãos - Piscou - E pode deixar que cuido direitinho do Dan.

- Vamos ? - Michael perguntou a Lena. Ela apenas assentiu, ainda estava um pouco brava com ele , pelas respostas não ditas. Ele colou seu peito as costas de Lena, passou o braço em volta de sua cintura e tão majestosamente e levemente como um pássaro alçou voo pelo céu nublado. 

Lena não sabia descrever o quão perfeita era a sensação de estar voando, de início sentiu-se um tanto tonta ao olhar para baixo e ver tudo tão diminuído ao ponto de parecerem apenas pontinhos pretos , mas a brisa refrescante, o vento farfalhando seus cabelos e o aperto seguro de Michael a tranquilizaram sobremaneira, agora tudo que ela sentia era uma paz sobre-humana.

- Ainda está brava ? - Ele perguntou rente ao seu ouvido, enquanto atravessava uma nuvem.

- Não mais, eu vou descobrir tudo, sozinha - Ela sentiu o beijo cálido no topo de sua cabeça - Posso te perguntar apenas mais uma coisa ?

- Pergunte.

- Dan ... é um demônio ?

- Não - Apressou-se em dizer.

- Então por que ele lutou contra você ?

- Era apenas uma pergunta , eu já respondi - Disse rindo, ela decidiu parar por ali.

Mas algum tempo depois, o qual ela não soube calcular bem, eles pousaram no gramado verdinho de um grande pátio. Impressionou-se ao ver a bela construção a sua frente, em nada essa escola se parecia com a "Wise". Essa era tão mais alegre, as paredes pintadas de um amarelo viçosso, os detalhes da fachada davam a construção um ar de século XIV , o portão de metal cromado exibia em letras garrafais o nome "Angel's".

- Linda não é ? - Michael tirou-a do devaneio.

- Sim, muito bonita. 

- É uma escola para anjos e Nephilins.

- Nephilins ?

- Metade anjos, metade humanos - Michael explicou divertindo-se com a expressão confusa dela.

- Ahhh .

- Não se preocupe Lena, aqui será tratada muito bem, é um lugar seguro e de confiança. Aprenderá muito aqui.

- Mas e você ? Não vai ficar?

- Eu não posso, mas sempre que der eu virei te ver.

- Mas achei que ficaria , não pode me deixar sozinha - Sua voz embargou.

- Thor ficará com você.

- Não - Gritou - Preciso que você fique Michael.

- Michael - Uma voz feminina tirou-os da discussão - Essa deve ser Lena ? Prazer querida sou Marceliny, uma das professoras daqui.

Lena apertou a mão da mulher angelicalmente bela e voltou a olhar Michael.

- Tenho que ir agora - Ele beijou a bochecha dela - Por favor Marceliny cuide de Lena, e você Thor olho nela - Thor apenas assentiu.

- Michael - Ela chamou mais uma vez, sentindo as lágrimas molharem seu rosto.

- Eu tenho que ir - Foi a última coisa que ele disse antes de abrir suas asas e num gesto rápido sumir pelo céu.

(...)

Lena já estava em um quarto no dormitório da escola, tinha acabado de tomar banho e de colocar uma roupa que simpaticamente Marceliny havia a emprestado. Sua cabeça ainda doía muito, estava com sono e cansada não só física , mas mentalmente. Precisava dormir, mas precisava mais ainda saber as respostas das perguntas que Michael não quis a responder.

Apanhou o livro, que trouxera escondido dentro da roupa e colocou-o sobre a mesinha.

"Mil vidas te amando"

Ela viu novamente a foto de um antepassado seu junto a Michael , leu mais uma vez o verso que ele havia escrito, mas naquele momento o que ela precisava saber era como visitar suas vidas passadas, talvez suas respostas estivessem lá. Com esse pensamento largou o livro e saiu pelos corredores bem iluminados da escola, procurou não se ater de fato a nenhum detalhe do caminhou, então quando achou a porta que desejava entrou sem delongas.


A biblioteca tinha várias sessões, mas ela sabia bem onde ela começaria procurar "Mitos". Procurou incessantemente nas prateleiras até que um livro chamou sua atenção "O mito sobre os Anunciantes", ela puxou-o e correu para a mesa mais próxima para lê-lo.

- O que são anunciantes ?

Uma espécie de bolha do passado, apenas seres especiais conseguem contemplar e adentrar os anunciantes. Todos os seres humanos vivem cercados de anunciantes, cada pequena sombra negra trás uma cena inesquecível do seu passado. Não é fácil ver os Anunciantes , mas muito mais difícil é adentra-los. Visualizar o passado é para pouquíssimos.

Lena sorriu diante da explicação do livro. Então dentro daquelas sombras poderia estar algumas cenas de seus antepassados ? 

Parou de perguntar-se e voltou  a folhear o livro, agora ela precisava saber como adentrar em um Anunciante.

Não se pode dispor de uma técnica para adentrar em um Anunciante, você apenas tem de capturá-lo entre as mãos, esticá-lo e concentrar-se , acreditar realmente que pode voltar ao passado. Mas cuidado, para os inexperientes pode ser uma viagem muito perigosa.

Lena fechou o livro. Era isso, agora ela sabia como revisitar uma vida passada e ela o faria apesar de todos os riscos, ela precisava de respostas e ia buscá-las.

Capítulo 16 

"Vida passada"


Lena concentrou-se o máximo que pode e desejou com todo seu ser que algum Anunciante aparecesse por ali... Foram questão de segundos para que duas sombras negras pairassem sobre sua cabeça, ela ainda sentia-se nervosa quando as via, mas nada comparado ao pavor que ela sempre teve daquelas coisas, sempre se achou louca por vê-las e agora simplesmente tinha coragem suficiente para entrar em uma delas.

"É por Michael, é para quebrar a maldição" - Entoou mentalmente.

Ergueu os braços e segurou a sombra entre as mãos, o Anunciante tinhas aspecto gelatinoso e frio e um leve odor de podridão. Ela fez uma careta ao esticá-lo , pois assim sentiu o cheiro ficar mais forte. Quando o Anunciante já estava esticado o bastante para que ela passasse por ele , ela voltou a se concentrar desejando profundamente ver algo em seu passado que a ajudasse a quebrar a maldição ... entrou na sombra.

Lena sentiu seu corpo tremular e não foi capaz de deixar seus olhos abertos enquanto escorregava no 'piso' escorregadio do Anunciante, foram segundos desesperadores até que ela sentiu uma leve brisa atingir seu rosto, ao abrir os olhos ela viu que não estava mais na escuridão do Anunciante, nem tão pouco na biblioteca da "Angel's" . 

Lena estava em ruela de calçamento precário, casas muito coladas faziam fileira de um lado e de outro na rua. Ela levantou-se e limpou a roupa ...

- Tenho que chegar em casa antes das 2 - A garota falava alegremente a uma menina que estava ao seu lado.

Com uma saia armada preta, que ia até abaixo de seus joelhos, uma blusa de mangas compridas branca, que marcava sua cintura, sapatos e luvas negras e um chapéu oval em sua cabeça... Lena reconheceu aquela menina ... Aquela menina era seu "eu" passado e pelas roupas ela deveria estar no início século XX.

- Sairá com Michael hoje ? - A outra garota peguntou ajeitando o chapéu em sua cabeça.

- Sim - Deu pulinhos - Mas ninguém pode saber - Ambas voltaram a caminhar entre conversas e risadinhas. Lena seguiu-as se esgueirando pela apertadas vielas da rua, até que as garotas pararam e Lena pôde vê-lo... belo como sempre fora, porém vestido em roupas daquela época. Foi impossível ela não sorrir quando viu o sorriso no rosto dele ... Michael parecia tão feliz apenas por ver sua Lena do passado.

A Lena do passado deu a mão a Michael e ambos saíram quase correndo, enquanto a amiga dela ria da presa deles de ficarem sozinhos. Lena também correu para alcançá-los.

Eles entraram em uma rua inabitada, subiram um pequeno morro e entraram em um pequeno matagal, só pararam quando estavam embaixo de uma frondosa árvore, muito perto de um despenhadeiro.

- Meu amor estava morrendo de saudades- Ela disse de forma doce, abraçando-o fortemente.

- Eu também Leny, eu também - Lena arregalou os olhos. Então a Lena do passado se chamava Leny?

- Prometa-me que vamos ficar juntos, sou incapaz de viver sem você - Ela balbuciou com os lábios colados ao dele. Michael suspirou pesadamente e se afastou, aquela Leny não sabia, mas não era possível ele prometer-lhe algo do tipo.

- Trouxe para você - Ele estendeu para ela uma peônia rosa - Feliz aniversário meu amor.

- É linda, Michael - Ela voltou a se jogar nos braços dele e beijou-o longamente. Então aconteceu algo que Lena não estava esperando...

Leny começou a brilhar, tão forte a ponto de incomodar os olhos de Lena e ela viu seu corpo começar a borbulhar em chamas, ela viu as lágrimas de Michael e seu olhar desesperador... Ela estava agoniada com a cena, mas algo tranquilizou-a , Leny estava em chamas, mas não estava chorando ou sequer parecia sentir dor, ela estava sorrindo, como se aquelas chamas a libertassem... Leny queimou até as cinzas , que fora levadas pelo vento.

- Nãooooo ! - Um grito ecoou pelo matagal. Michael estava de joelhos sobre a grama, o rosto banhado de lágrimas, seu corpo sacudia devido ao choro compulsivo - Volta, por favor - Ele pediu com uma expressão agoniante de dor. Lena sentiu vontade de correr até ele, de consolá-lo e de dizer-lhe que no futuro uma Lena diferente estava disposta a quebrar a maldição, mas ela sabia que não podia interferir no passado. Como não queria mais vê-lo sofrendo daquele jeito concentrou-se e rapidamente apareceu um Anunciante, ela moldou-o e adentrou-o, segundos depois estava de volta a biblioteca da escola.


(...)

Naquele dia assim que ela voltou do Anunciante não conseguiu fazer mais nada, sentia-se exausta. Dormiu até a metade da manhã, acordou com Marceliny batendo na sua porta. A mulher mostrou-lhe toda a escola, apresentou-lhe alguns alunos e professores , na hora do almoço as duas entraram em uma animada conversa. Só quando a noite já caia foi que ela voltou para quarto, tomou um banho e pôs-se a pensar no que faria com aquele tempo livre.

- Anunciantes - Disse a si mesma.

Porém seus planos foram postos de lado assim que um barulho na janela chamou sua atenção, quando ela a abriu Michael entrou em seu quarto com um sorriso sapeca nos lábios.

- Michael - Ela jogou-se nos braços dele, esquecendo-se da raiva que sentira por ele ter deixado-a ali sozinha.

- Achei que estivesse zangada - Perguntou acariciando as costas dela.

- Não estou - Sorriu e segundos após os dois estavam se beijando - Senti sua falta.

- Eu também, por que acha que estou aqui? - Arqueou a sobrancelha - Eu não poderia estar aqui, mas simplesmente não consigo ficar longe de você.

- Nem eu de você meu amor - Beijou-lhe os lábios suavemente - Fique essa noite, por favor.

Foi impossível para Michael dizer não a tal pedido, ainda mais ela falando com aquele tom manhoso.

- Vem - Ela puxou-o até a cama , onde derrubou ele e sentou em seus quadris - Você é tão lindo - Disse encantada enquanto admirava os traços do rosto dele.

- Não - Ele inverteu as posições e pressionou seu corpo sobre o dela - Você é linda .

O beijo terno de início começou a ficar mais intenso conforme a língua dele pressionava a dela com mais volúpia, conforme o aperto das mãos dele era mais forte, conforme a necessidade de tirar a camisa dele aumentava dentro dela.

- Lena pode ser perigoso - Disse ofegante.

- Eu quero - Se impôs, e mais uma vez ele não negou-lhe.

Ambos livraram-se das roupas e agora nus, com ele encaixado entre as pernas dela, se olharam nos olhos. Michael beijou-a no exato momento em que o corpo dele se uniu ao dela... era muito mais que união carnal, era dois corações que batiam no mesmo compasso, era duas almas que se conheciam a mil vidas ... era um amor maior que se possa entender.

Um lágrima desceu pelo rosto dela enquanto ela desfrutava da sensação maravilhosa dos lábios do seu amado beijando-lhe o corpo, o barulho dos quadris impactando, os gemidos abafados ... Aquela lágrima era de felicidade, pelo momento. Era de tristeza, pelo futuro incerto. Era de determinação, pela força que crescia nela, impulsionando-a a quebrar a maldição e poder ser feliz ao lado dele. Era de prazer, o prazer que ela sentia ao torna-se dele, ao entregar seu corpo ao homem que era o dono de tudo que pertencia a ela; alma, coração, sorriso, lágrima... tudo nela era dele e tudo nele era dela.

Os dois chegaram ao ápice sincronizados, ofegantes e satisfeitos. Lena deitou sobre o peito dele, sentindo-se plena, em paz.

- Amo você - Disse sem conseguir conter as palavras na boca.

- Durma Lena - Pediu acariciando os cabelos dela. Ela fechou os olhos e quando estava quase na inconsciência do sono ouviu-o dizer - Não posso perdê-la dessa vez, prefiro morrer.

Michael preferiria muitas coisas ao invés de ter que perder Lena, mas ele não poderia morrer, anjos não morrem.

Quando ela acordou na manhã seguinte ele não estava mais lá, apenas uma peônia rosa jazia no local que ele estivera descansando a pouco tempo atrás.

Capítulo 17

"A dor de Michael"


Ela segurou a rosa entre as mãos e levou-as até o nariz, inalando o perfume adocicado da rosa.
Lembrando-se da noite de ontem com Michael e lembrando-se da vida que ela visitara, Lena adquiria uma forma que ela jamais imaginou ter. Ela acabaria com aquela maldição a qualquer custo, nem que isso custasse sua vida, ela não queria mais vê-lo sofrer.

E pensar que ela o julgou a dois dias atrás apenas por ele não ter dado respostas contundentes a ele, mas o que ele já havia passado por ela? Lena antes não tinha a menor noção, mas revisitando aquela vida ela começou a entender a profundidade daquele amor ... Quem mais aguentaria mil vidas vendo a pessoa amada morrer em seus braços e ainda assim ter força para esperá-la voltar? Movido apenas pelo amor...

Para ela a situação era difícil, mas para Michael era muito mais, afinal ela morria e ele quem tinha de assistir sua partida, esperar anos até que ela voltasse e depois que ambos estivessem apaixonados ela morrer de novo ... Era um ciclo, um maldito ciclo, e Lena ainda não entendia o por que de tudo isso ter começado, mas ela iria descobrir e acabar com aquilo.

Os rosto dela estava molhado pelas lágrimas, enquanto ela moldava o Anunciante.

- Dessa vez você irá me levar até o ponto certo, até o ponto onde eu deva saber como acabar com a maldição - Ela disse convicta, logo depois adentrou o Anunciante.

Depois de toda aquela sensação desagradável de estar dentro de um Anunciante , ela sentiu a terra firme abaixo de seus pés, uma rajada de vento açoitou seus cabelos e Lena caiu sentada na neve.
Olhou ao redor tentando entender onde ela estava, mas nada mais que a branquidão da neve toldou seu campo de visão. Ela abraçou-se tentando anular minimamente o frio cortante que fazia e ao espremer os olhos notou ao longe luzes ... Uma cidade. Não pensou duas vezes, caminhou com dificuldade , mas o mais depressa que conseguiu até o vilarejo que ela vira. 

Como era noite e o frio estava congelante , Lena não encontrou ninguém transitando pela rua, caminhou mais um pouco na esperança de encontrar um lugar para se emparar do frio, foi aí que ela ouviu passos abafados na neve.

- Tem que ver o que fiz pra você Livys - Ela reconheceu instantaneamente a voz melodiosa de Michael. E mesmo por baixo daquele casaco grosso e da toca que cobria quase todo seu rosto, ela ainda podia ver seu sorriso. E a garota de cabelos negros, pele pálida e olhos muito azuis, que estava segurando sua mão e sorrindo tão bobamente quanto ele,só podia ser seu eu passado, que pelo visto nessa vida se chamava Livys.

- É um presente de aniversário? - Perguntou empolgada.

- Sim meu amor - Os dois jovens continuaram sua caminhada e claro que Lena seguiu-os.

Os dois entraram em um bosque e pararam em uma clareira bem na entrada do mesmo.

- Aqui está - Ele apontou para ela uma escultura na neve , graciosamente esculpida a mão, os detalhes eram perfeitamente idênticos aos de Livys. A jovem ajoelhou-se próxima a escultura e tocou-a com cuidado, enquanto uma lágrima rolava por seu rosto bonito.

- É simplesmente maravilhosa - Disse boquiaberta - Olhe só pra esses detalhes, parece que me conhece a mais de 500 vidas.

Michael comprimiu os lábios... é , ele conhecia mesmo.

Ela ergueu-se e enlaçou o pescoço dele, os olhares fundidos . Lena observava ao longe o quão perdidamente apaixonados eles pareciam, para eles o mundo era apenas Livys e Michael ... E era exatamente assim que Lena se sentia nos braços do seu Michael.

Eles colaram os lábios em um beijo carinhoso, os lábios se moviam sem pressa, como se aquele beijo fosse a única coisa no mundo que valia para eles, como se aquele beijo fosse o último que eles dariam... Então o brilho incandescente apossou-se de Livys e Lena observou com horror e adoração a cena da outra vida se repetir. Livys queimou até virar cinzas, que o vento levou.

E a reação de Michael dessa vez foi diferente, Lena não viu o Michael do passado chorar, mas ela viu o tamanho da dor que ele sentia estampada em seus olhos negros/cinzas. Ele caminhou lentamente, como se suas pernas pesassem toneladas , e antes de se encostar na árvore , ele desfraldou sua assas brancas e resplandescentes. Ele inclinou a asa direita e levou os dedos até ela, primeiro tocou-a e logo depois de uma forma violenta fechou seus dedos ao redor dos tufos de penas brancas e arrancou um montante. Ele gritou quando o sangue jorrou do lugar. Lena sentiu sua pernas perderem as forças, ela sabia que ali era o único lugar onde os anjos sentiam dor. Por que ele estava se mutilando?

Ele repetiu o ato por 4 vezes, ferindo-se cada vez mais dolorosamente, Michael estava quase desfalecendo pela dor evidente e Lena jurou a si mesma que se ele repetisse o ato apareceria para impedi-lo de continuar e que se danasse o que isso causaria no futuro.

- Michael - Uma voz feminina gritou e ela ouviu passos se aproximando. Era Cheer. - Ohh - Disse chocada quando viu o quanto Michael havia se ferido. Ela correu até ele e sentando-se na neve colocou-o sobre seu colo - Por que fez isso Michael? Você se feriu de morte - Uma lágrima desceu por seu rosto.

- Eu quero morrer Cheer - Disse em um fio de voz - Eu não quero mais ter que perdê-la.

- Confie no amor de vocês, algum dia isso vai acabar - Cheer acariciou o rosto dele - E não adianta nada causar dor em você.

- Essa dor não é nada perto da que eu sinto aqui - Ele apontou para o peito - Eu preciso encontra Lúcifer ou pedir clemência ao Trono, apenas um dos dois podem nos livrar dessa maldição Cheer.

- Você sabe que não será ouvido por nenhum dos lados Michael.

- Mas tenho que tentar, essa é a única solução .

Lena limpou as lágrimas que molhavam seu rosto, encheu o peito de ar para tomar coragem e evocou um Anunciante, agora ela sabia quem deveria procurar para saber o por que da maldição e dar um jeito de quebra-la e ela tinha de ser rápida, pois havia tomado nota de que suas "eu" anterior sempre morriam exatamente no aniversário de 18 anos, e ela Lavínia DelRei (Lena) faria 18 anos em 2 dias, e como ela tinha consciência de que a vida mil encerraria o ciclo, se ela não impedisse a maldição, dali a dois dias ela estaria morta e dessa vez para sempre.

Ela esticou o Anunciante e atravessou-o com a convicção de que seu amor por Michael, sua força de vontade e sua coragem a levaria até Lucifer.

Capítulo 18 

"Encontro, descoberta, clemência"


Dessa vez quando Lena sentiu que já não habitava mais o Anunciante, ela não sentiu brisa alguma de vento, nem terra firme, muito menos alguma luz para clarear o espaço onde ela estava.
Tudo ao seu redor era escuro, fedia a enxofre e um calor estranho quase lhe ardia a pele. Lena sentia-se sufocada e sem direção, para todos os lados que ela olhava nada mais via do que a escuridão. Pensou em chamar por alguém, mas quem? Pensou em caminhar um pouco, mas como se ela não enxergava nada?

- Hey - Gritou, louca para que alguém lhe respondesse.

Não houve resposta, mas enfim ela sentiu uma brisa fria e fétida tocar sua pele, uma risada grossa o suficiente para lhe doer os ouvidos ecoou pela escuridão e então ela pode ver algo... Um par de asas surradas e negras, apenas suas brodas eram minuciosamente douradas, o que as fazia brilhar minimamente. O corpo esguio e pedriculoso apareceu em sua frente, quente como o inferno, fedido como se junto com ele tivesse aparecido mil cadáveres em decomposição... Ela nunca havia o visto, mas sabia quem era aquele ser, Lucifer.

- Ora que visita mais inesperada - Sibilou, sua voz dessa vez não soou grossa e sim suave e persuasiva - A que devo a honra ? - Ele se aproximou e Lena teve de fechar os olhos para combater o horror de olhá-lo tão de perto.

- Quero que acabe com essa maldição ridícula - Gritou, tirando coragem sabe-se lá de onde.
Ele riu, uma gargalhada assustadora, por longos minutos.

- Você é tão ridícula quanto Michael , por que acha que acabaria com uma maldição que eu mesmo criei?

- Por que em algum canto desse poço de escuridão que você é, deve existir o mínimo de bondade, você tem que ter compaixão - Seus olhos arderam e as lágrimas desceram por seu rosto.

- Você sabe muito bem com quem está falando... Eu não tenho nada a não ser maldade - Lena caminhou decididamente até ele e sem pensar duas vezes agarrou-lhe as mãos, que possuíam grandes garras .

- Eu vim até o inferno pelo homem que eu amo, para não vê-lo mais sofrer e se tiver algo além ou pior que isso eu irei, por amor - Disse convicta, olhando nos olhos dele.

- A culpa disso é sua - Ela desvencilhou-se dela, e Lena caiu no chão escuro.

- Me explique, deixe-me entender o por que de tudo isso, se não vai me ajudar, pelo menos deixe que eu entenda - Suplicou.

- Te deixarei ver por que tudo começou.

Ele estalou os dedos e como se a alma de Lena tivesse sido transportada, ela não estava mais na escuridão e sim na claridade infinita de branco, uma música que parecia ser cantada por um coro angelical ecoou por seus ouvidos enchendo-a de paz .

Ela olhou para baixo e viu hordas de anjos caminhando sobre as nuvens, todos sorridentes, cantando, adorando o trono. Não parecia haver nada ali , além de paz e adoração.

Lena viu um casal de anjos de mãos dadas, afastados dos demais, eles beijavam-se apaixonadamente, era um beijo diferente dos que os humanos trocam, era como se as almas se tocassem e apenas isso.
A garota angelical tinha pele muito pálida, seus cabelos negros alcançavam sua cintura e sua assas eram maravilhosamente brancas e reluzentes. O anjo que a beijava soltou-se dos braços dela e correu na direção oposta.

- Lúcifer, volte aqui - A garota gritou para o belíssimo anjo que correra dela, e quando a anja virou-se Lena arregalou os olhos em choque, era ela. A anja que beijava Lúcifer.

(...)

Seu corpo convulsionou e ela foi levada a outra parte da história...

- Você tem de escolher a mim - Ele gritou.

- Mas não posso abandonar o trono e viver apenas para te amar - Disse chorosa.

- Terá de escolher Lavínia, terá de escolher - Ele gritou e se afastou deixando-a ali em prantos.

Lavínia sentiu que alguém se aproximava e quando virou para ver de quem se tratava , ela viu Michael ... seu anjo.

Ela sorriu no mesmo instante e correu para os braços dele, abraçando-o fortemente.

- Contou para ele ? - Michael a perguntou.

-Eu tenho medo do que ele possa fazer , sabe que ele é um anjo poderoso e bem quisto aos olhos do trono .

- Porém nosso amor é mais forte do que ele Lavínia - Ela assentiu e segundos depois eles estavam se beijando.

(...)


Mas uma vez o corpo dela foi transportado para outra visão...

- Eu vi você com ele - Lúcifer gritou fazendo Lavínia se assustar.

- Eu amo Michael, tente entender Lúcifer. Não amo mais você, você me sufocou... Meu amor com Michael é livre, forte, cheio de confiança.

- Eu não deixarei que vivam em paz - Ela viu algo nos olhos dele , que jamais pensou em ver em nenhum anjo, raiva.

(...)

Outra visão...

Lena observou a fila de anjos formada, todos belos e com suas asas maravilhosamente brancas. E a frente deles o Trono, resplandescente, envolto por uma luz tão branca que incapacitavo-os de enxergar a silhueta que estava sentada ali. Do outro lado estava Lúcifer, antes um dos anjos mais importantes do céu, agora havia se rebelado contra o trono e decidido criar seu próprio reino. Sua asas não eram mais brancas, agora jaziam negras . Ela observou também que os anjos estavam sendo chamados e eles tinham de escolher um lado. Alguns anjos seguiram com Lúcifer e outros permaneceram ao lado do Trono.

- Michael - A voz chamou-o e ele deu um passo a frente - Escolha seu lado.

Michael olhou para Lavínia e sorriu, logo depois voltou a olhar o Trono para dizer o que havia escolhido.

- Eu escolho o amor - Ninguém ali presente acreditara no que acabara de ouvir - Eu não acho justo escolher um dos lados e entrar em uma guerra que eu não quero para mim, tudo que eu quero nessa vida é poder viver meu amor com Lavínia.

- Vejam só, o anjo Michael é tão traidor quando eu .

- Não ! - Alterou-se - Você escolheu o mau, e eu estou escolhendo o amor.

- Vocês dois me traíram, eu dei meu coração a Lavínia e ela me apunhalou entregando o dela a você, é por isso que estamos aqui hoje.- Ele sorriu - Lanço sobre vocês uma maldição, quando ambos caírem o amor de vocês não será possível, pois sempre que se encontrarem, no primeiro olhar um para o outro, Lavínia queimará e morrerá.

- Não - Michael gritou - Trono eu peço clemência, para mim e para Lavínia - Ele ajoelhou-se.

- Não posso interferir inteiramente Michael, afinal não escolheu lado algum, mas posso amenizar a maldição. Que vocês possam viver seu amor até Lavínia completar 18 anos, só assim ela morrerá para então voltar 18 anos depois. E vocês sempre se apaixonarão. Mas o ciclo acabará na vida de número mil.

(...)

Lena abriu os olhos e voltou a enxergar apenas escuridão. Ela o viu parado a sua frente e afastou-se o quanto pode dele.

- Então você foi meu primeiro amor? - Perguntou atônita, procurando naquele horrível ser, o belíssimo e bondoso anjo pelo qual ela se apaixonara.

- Irônico não é ?

- Mas ... Mas tem de haver um jeito de mudar essa maldição.

- Não tem jeito - Gritou - É seu destino.

- Não - Gritou tão forte que sentiu sua garganta arder - Eu peço clemência - Caiu de joelhos e juntou as mãos em oração, e com toda sua fé e seu amor gritou mais uma vez - Clemência Trono.

Capítulo 19  (Penúltimo capítulo)

"Perdendo-te para ganhar-te"


Ela viu a escuridão em torno de si ser ofuscada por um forte luz branca, que resplandeceu de forma tão forte que foi impossível pra ela permanecer de olhos abertos. Então sentiu-se em queda livre, como se o chão escuro abaixo de seus pés tivesse sumido. Ela não sentia mais o fedor de enxofre, nem a quentura e muito menos a presença sufocante de Lúcifer.

Enquanto ela caia um turbilhão de pensamentos e lembranças de vidas passadas tomaram conta de sua cabeça, e como se tivesse sido dado a ela o poder do conhecimento, Lena entendeu tudo. Desde o começo quando ela ainda era um anjo, que era feliz apenas por adorar ao Trono, até que ela conheceu Lúcifer, um dos anjos mais belos e bem quisto no céu, apaixonou-se por ele, mas viu esse mesmo anjo tornasse possessivo, agressivo e sufocante e foi aí que apareceu Michael , o seu anjo. Ele acolheu-a, enxugou sua lágrimas e o amor deles floresceu forte e sólido, um amor para durar a eternidade. Mas então houve a rebelião liderada por Lúcifer, alguns anjo permaneceram ao lado do Trono, alguns rumaram ao inferno com Lúcifer e outro tanto não escolheu lado algum e para esses houve a "queda", todos tiveram de viver na terra por toda a eternidade, com suas asas sempre escondidas e suas aparências inteiramente humanas jamais foram descobertos. 

E só agora que tudo via a sua mente Lena parou para pensar que ela era um anjo caído, ela também não havia escolhido lado algum, se não o lado do amor. Lena sentiu suas costas arderem e seus músculos e ossos moverem-se em suas costas, dado a ela uma sensação de dor quase sufocante, foi assim por alguns segundos até que duas assas branquíssimas e suntuosas desfraldaram de suas costas, afinal ela era uma anjo, só precisava saber disso para que suas assas e sua alma angelical fossem libertas.

A queda livre em que ela estava foi amenizando até que ela viu o pasto verde abaixo de si, não sabia muito bem como manusear suas assas, mas tentou lembrar-se de como Michael fazia, e imitando-o conseguiu pousar ali.

Um sorriso bobo brincava em seus lábios, lágrimas molhavam seu rosto. Ela em fim tinha entendido tudo. Absolutamente tudo.

Tudo a sua frente estava coberto por uma névoa branca, que incapacitava Lena de ver perfeitamente, mas espremendo os olhos ela conseguiu ver ao longe silhuetas. Todas elas possuíam assas belíssimas, e todas silhuetas estavam ajoelhadas a frente de um trono resplandescente, exceto duas silhuetas. Ela correu até lá o mais depressa que pôde, parou a alguns metros de distância.

- Aproxime-se Lavínia - A voz vinda do trono disse e todos que estavam de costas viraram para olhá-la e ela reconheceu: Cheer, Thor, Kenny e Marcelliny, esses eram os anjos que estavam ajoelhados. E as silhuetas que estavam de pé perteciam a Dan e Michael.

Quando seu olhar cruzou com o dele foi como se eles tivessem se visto pela primeira vez. Ele observou-a com um sorriso nos lábios, o rosto também molhado por lágrimas , ele parecia tão encantado que estava incapaz de dar um passo sequer... e ela também estava, pois sempre ficava atônita quando o via assim de assas abertas.

Finalmente eles conseguiram se mover e instantaneamente correram para os braços um do outro. Michael apertou-a tão forte contra seu peito que ela pensou estar machucando-o. Quando ergueu seu rosto para fitar o belo rosto dele ela sentiu o coração comprimir-se em seu peito. Lembrou-se do quanto o viu sofrer nas vidas passadas e tudo por amor ... o mais forte e mais belo amor.

- Por que fez isso Lena, tive tanto medo de perdê-la - Ele tocou o rosto dela, como se achasse impossível dela ter saído viva dos Anunciantes.

- Eu precisava entender meu amor, precisava ver com meus próprios olhos a imensidão de tudo que vivemos e precisava tentar a todo custo livrar-nos dessa maldição - Ela segurou a mão dele entre as suas e beijou a palma da mesma. Michael fechou os olhos com a carícia.

- Eu tive medo ... muito medo - Agora ele parecia angustiado e desesperado com a possibilidade de ter a perdido.

- Shhh - Tocou os lábios dele com os seus - Agora estou aqui - Ela beijou-lhe com toda saudade e todo amor que mal cabiam em seu coração - Eu amo você.

- Para sempre - Ele completou.

- Lavínia - O Trono chamou-a e ela desvencilhou-se de Michael para atender o chamado.

- Sim .

- Me pediu clemência e eu estou aqui para atender seu pedido - A voz que vinha do Trono era tão suave que deixava Lena em paz - Vocês sofreram por mil anos, mas não deixarei mais que isso volte a acontecer ... ou melhor sofrerão apenas mais uma vez - Lena franziu o cenho sem entender - Tem uma proposta para você Lena e você Michael - Lena e Michael assentiram e logo em seguida deram-se as mãos - Terão paz para viverem seu amor, mas terão de abdicar de seus lugares no céu, não serão mais anjos. Farei com que voltem mortais e não se lembrarão de absolutamente nada pelo que passaram . A escolha é de vocês.

Michael e Lena olharam-se profundamente e ambos sabiam que aceitariam qualquer que fosse a condição para poderem viver seu amor sem ter que sofrer mais.

- Lena - Michael sussurrou tocando as maravilhosas assas dela - Você vai perdê-las e as conquistou a tão pouco tempo.

- Para que vou querer assas se terei você ? - Ele não disse nada apenas a abraçou forte.

- Se despeçam de seus amigos, não os verão mais nem sequer lembrarão mais deles.

Lena virou-se para encarar os anjos a sua frente. Beijou e abraçou a todos, inclusiva Kenny, que havia a humilhado por demais, porém Lena entendeu que esse era apenas o jeito de ser dela. Agradeceu profundamente a Cheer por tudo que ela havia feito e de forma mais contida agradeceu a Thor por ter sido tão protetor com ela. Faltava apenas despedir-se de Dan. Ela tomou coragem e caminhou até ele, enquanto Michael se despedia de seus amigos também.

- Dan - Ela chamou suavemente e ele olhou-a com ternura.

- Desejo que você e Michael sejam muito felizes, vocês merecem - Ela sorriu e avançou para dar-lhe um abraço, afinal ela gostava dele, sentiu medo por um tempo, mas junto com suas lembranças ela descobriu que  Dan também fora um anjo, seu irmão no céu, e que ele se mudara para o lado de Lúcifer quando teve seu coração partido por uma garota de nome Mirthys, porém ele era bondoso, quando queria ser.

- Também te desejo coisas boas - Ela apartou-se do abraço e segurou as mãos dele.

- Peço que me perdoe pelo que eu fiz, mas com certeza agora sabe que no fundo eu só quis proteger você, não queria vê-la morrer queimada e muito menos ver o Michael sofrer feito um condenado ao te perder. Eu gosto de vocês, sempre gostei.

- Agora eu sei disso Dan e não se preocupe não guardo mágoas de você - Ele inclinou-se para beijar a testa dela.

- Agora vá - Ela assentiu e afastou-se. Foi a vez de Michael se aproximar.

- Obrigado por tudo Dan, sei que no fundo sempre quis ajudar irmão.

- Você vai ser muito feliz - Ele sorriu e uma lágrima desceu por seu rosto - Vocês conseguiram vencer a maldição. O amor de vocês venceu e o admiro por isso.

- Tente se manter na linha e quem sabe não possa me visitar na próxima vida, não saberei que é você, mas ficarei feliz só de conhecê-lo.

- Pensarei - Eles se deram um longo abraço - Seja feliz irmão - Michael fez um gesto com a cabeça e afastou-se dele.

Lena e Michael voltaram para a frente do Trono. Os dedos entrelaçados , olhos nos olhos.

- Despeçam-se um do outro - O Trono ordenou na sua voz pacífica.

- Vou sentir sua falta - Ela sussurrou.

- Eu também sentirei a sua - Disse encostando a testa na dela.

- E se você não me achar?

- Eu te achei ao longo de mil vidas, acha que será diferente na próxima - Ela sorriu.

- Não.

- Até breve meu amor.

- Até - Eles beijaram-se mais uma vez.

- Prontos?

- Sim - Responderam em uníssono e então tudo ao redor deles sumiu, as mãos de desgrudaram e segundos após eles eram apenas almas planando na imensidão azul do céu prontas para encontrarem seu caminho.

Capítulo 20 (Último capítulo)

"Enfim o nosso recomeço"

18 anos depois...

Lavínia olhou para a faixada da faculdade, sentiu-se com medo e ansiosa, uma mescla de sentimentos que quase sempre não ajudava. Tomando uma longa lufada de ar ela ajeitou a mochila negra nas costas e adentrou a "F U.S F" (Faculty U.S. Federal - Faculdade Federal dos EUA). Trombou com alguns alunos enquanto procurava a porta na qual estivesse gravado o número de seu quarto.

Achou-a no final do corredor e ao adentrar viu ali uma ruiva muito bonita, estava sentada despreocupadamente na cama, enquanto pintava suas unhas num tom de rosa choque.

- Olá - Balbuciou tímida.

- Olá - A ruiva levantou-se e correu até ela envolvendo-a em um caloroso abraço - Seja bem vinda Lavínia, sou Ruth.

- Prazer Ruth - Ambas sorriram.

- Menina você veio de longe não é?

- Um pouco - Deu de ombros - Não parece caloura.

- E não sou, estou aqui a quase 3 anos. Conheço todo mundo - Lavínia riu do jeito exagerado de seus gestos - Hoje , por exemplo, tem uma super festa no quarto do Jim e nós temos que ir.

- Não sei Ruth, é que acabei de chegar e...

- E precisa fazer novos amigos , então trate de se arrumar por que eu vou te arrastar pra aquela festa - Lavínia riu desarmando-se um pouco, afinal ela queria mesmo conhecer gente nova e Ruth parecia legal, não lhe custaria nada ir a festa.


- Tudo bem. E me chame de Lena, todo mundo me chama assim.

- Então vamos arrasar na festa Lena - Ruth saltitou.

- Vamos.

(...)

Depois do banho e de escovar os cabelos Lena enfiou-se em um vestido preto que ia até a metade de suas coxas, era um pouco justo, mas nada demais, não havia decote algum na frente, porém suas costas ficavam toda nua. Um sapato também negro e uma maquiagem pesada, como ela sempre gostava. E lá estava ela pronta.

Havia passado o resto do dia de conversa com Ruth , e nessas horas deu muitas risadas junto dela. Ambas até deram um pequeno passeio para que Ruth lhe mostrassem um pouco o campus.

- Nossa está gatíssima - A mais nova amiga de Lena elogiou-a.

- Obrigada, você também está.

- Sempre estou - Piscou para ela sorrindo - Ahh antes de irmos, um aviso, não deixe os garotos do time de futebol americano se aproximarem , são uns trogloditas e adoram carne fresca. Bom, e depois que me falou que era virgem , não quero que sofra por esses garotos.

- Obrigada - Ela sorriu, achando graça na forma que Ruth quis a proteger mesmo em tão pouco tempo de convivência.

Elas saíram pelo corredor do campus e quando pararam na frente da porta do quarto onde acontecia a tal festa Lena sentiu-se claustrofóbica automaticamente, tinha gente saindo por todos os buracos do pequeno espaço. Ela viu logo, pelos jovens que se agarravam no corredor, e pelos copos em suas mãos , que não era um tipo de festa que ela gostava. Iam achar ela um ET dentro daquela faculdade, por que parecia que todo mundo estava ali e só ela não estava gostando do que via.

- Você não vem ? - Ruth perguntou já catando um copo de um garoto que passou e cumprimentou-as.

- Vá na frente, eu já vou - Ruth assentiu e sumiu dentro do quarto. Lena deu meia volta rumo ao corredor que ia ficando cada vez mais silencioso conforme ela se afastava da festa. Não queria ir para o quarto e ficar sem ter o que fazer lá, decidiu descer para o jardim e tomar um pouco do ar puro.

Sentou-se em um banco que ficava afastado da cede do campus e pôs-se a olhar a lua e como sempre era de costume voltou-se a suas fantasias de garota. Imaginava o dia em que encontraria um garoto pelo qual seu coração bateria mais forte, um garoto qual ela sentiria vontade de beijar e de entregar seu corpo, um garoto que preenchesse esse vazio que ela sempre sentiu, embora ela não entendesse o por que, pois sempre teve o amor de seus pais, muitos amigos, vários garotos a paqueravam, mas jamais esse vazio era preenchido, era como se faltasse alguém...

- Não gostou da festa? - Uma voz melodiosa perguntou-lhe e ela encarou o garoto a sua frente desde seus pés calçados em um tênis , a calça jeans desgrudada de seu corpo, a camisa branca coberta por uma jaqueta de couro, a curva bonita e máscula do seu pescoço, o queixo quadrado e com um furinho em seu centro, a boca bem acentuada de lábios cheios, o nariz lindamente esculpido, os olhos negros , que brilhavam de uma forma quase cinza e os cabelos que pendiam em cachos cheios até seus ombros.
- Prefiro esse lugar - Ela respondeu-lhe sentindo seu coração acelerar e suas narinas dilatarem ao sentir o cheiro adocicado daquele garoto.

- Eu também - Ele colocou as mãos no bolso da calça, parecendo ligeiramente tímido - Posso sentar aqui? - Apontou para o lado dela.

- Claro - Ela impressionou-se ainda mais com a beleza do jovem quando a luz da lua tocou a pele alva dele ... Ele era tão belo e gracioso e que nem parecia real, parecia um  anjo.

- Sou Michael - Ele estendeu para ela uma mão grande, alva e de dedos longos.

- Sou Lavínia, mas pode me chamar de Lena - Ela apertou a mão dele e uma corrente elétrica atravessou seu corpo. E naquele exato instante, sem que ela entendesse o por que, o vazio em seu peito havia sumido, estranhamente Lena não sentia-se mais só. 

Eles conversaram horas a fio, em meio a risadas e brincadeiras. Nenhum dos dois entendiam o por que daquela proximidade em poucas horas , mas os quatro anjos que os observavam entendiam perfeitamente.

- Aposto que rola um beijo ainda hoje - Dan disse dando de ombros.

- Claro que não, a Lena dessa vida é muito tímida - Contra atacou Cheer.

- Deixem-os em paz e vão arrumar algo para fazer - Kenny resmungou.

- Mas somos anjos deles, em parte nosso trabalho é cuidar da vida de Michael e Lena - Thor completou em seu tom sempre confiante.

- Olhe , eu não falei - Dan apontou para o casal lá embaixo e todos voltaram suas atenções para eles.
- Você me acharia ousado demais se eu te beijasse? - Michael perguntou muito próximo aos lábios dela.

- Não - Ela sussurrou de volta.

E então os lábios de ambo se acariciaram, para logo depois as bocas estarem unidas em um beijo ... era o recomeço de tudo, dessa vez sem maldição para atrapalhá-los, era apenas o amor deles que os guiariam.

Nem Michael muito menos Lena entendiam, mas eles sentiam o poder daquele amor ... era como se eles se conhecessem a mil vidas , era como se eles tivessem passado Mil vidas se amando.


Fim.

84 comentários:

  1. Estou doida pra ler

    ResponderExcluir
  2. amei a sinopse,essa fic promete . -Sarah

    ResponderExcluir
  3. Hoje vou ate faltar na escola pra ler o fanfic...Sinopse incrivel estou muito feliz por estar acompanhando esse blog fantastico...

    ResponderExcluir
  4. Olá amores, cheguei com o comecinho para vocês, espero que gostem viu.
    Bjs :*

    ResponderExcluir
  5. sinsitrooo e td misterioso *---* continuaa

    ResponderExcluir
  6. Bom começo, continua

    ResponderExcluir
  7. Muito Bom,continua - sarah

    ResponderExcluir
  8. Gente já vi que a fic é perfeita, cheia de mistério do jeito que eu gosto, continhaaaaaaa...

    ResponderExcluir
  9. MDS! Eu devo ter pecado muito na minha outra vida para eu esta sendo torturada desse jeito! Continua ... *-*

    ResponderExcluir
  10. pfffff continuaaaaaaaaaaaaaaaaaaa pelo aaaamoooor deee deuuuuussss

    ResponderExcluir
  11. continua kk ta Otimo

    ResponderExcluir
  12. continua logo *---*

    ResponderExcluir
  13. continuaaa *--* ansiosaa, ta tçao misteriosa essa fic .--.

    ResponderExcluir
  14. Continua por favor por favor por favor por favor por favor por favor por favor por favor por favor por favor por favor por favor por favor por favor por favor por favor por favor por favor por favor por favor por favor por favor por favor por favor por favor por favor por favor por favor por favor por favor por favor por..................................................................

    ResponderExcluir
  15. é td tão misterioso, pq o Dan tem tanta raiva do Michael? O_o. isso ta baun1 demias.
    Continuaaaaaaaaaa *-*

    ResponderExcluir
  16. Continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua continua.........................................................

    ResponderExcluir
  17. aaaaaff dan idiotaaa continua e n demore por favoor

    ResponderExcluir
  18. Vc quer nós torturar né? Continua essa historia pq eu amoo mistério continuaaa CONTINUAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA eu e a Luciana estamos loucass

    ResponderExcluir
  19. OMG *-* essas sombras são sinistras o.O .. continuaaaa,

    ResponderExcluir
  20. Continua por favor ,estou morrendo aqui \õ/

    ResponderExcluir
  21. aaaaaaiiiiiiiiii mdsssssssssss continuuuuuaaaaaaaaa plsss e por favor n demoreee

    ResponderExcluir
  22. ele a ama,e ela nem sequer nota isso :/ continuaa,esta lindoo *-*

    ResponderExcluir
  23. continuaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa...................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

    ResponderExcluir
  24. aaaaaaaiiiiiiiiiiiiiii mdssssssssssssssssssssssss continuaaaaaaaaaa logoooooooooooooooooooooooooooooo

    ResponderExcluir
  25. essa fic concerteza (sem duvida alguma) é uma das melhores que eu li ( estou lendo), se não for a melhor, mistério, suspense, coisas sobrenaturais e ficticias, isso é incrivel, sem contar no romance, que muito, muitooooo lindo, ela é simplismente incrível, eu poderia ficar um dia inteiro escrevendo sobre o que eu acho dela, mais enfim, resumindo "Perfeita", sei que ela ainda nos aguarda muitas surpresas, mais falo isso com a maior certezado mundo, "Essa fic roubou meu coração"....... Por favor continua, continua, continua, essa fic tá demais (D+), não aguento mais ficar imaginando o que esta por vir, quero só ter a certeza, Continua ( incrivellllllllllllllllllllllllll)

    ResponderExcluir
  26. *-----------------------* OMG,amo coisas sobrenaturais, e isso ta mais que bom, ta o FLUXO KKKKKKKK,mds que fic diva *--* continuaaa.

    ResponderExcluir
  27. Por favor continua!!!! eu já estou com os nervos a flor da pele de tanta ansiedade, sério mesmo! ( Que os céus ouçam as minhas preces) Por favor continuaaaaaaaaaaaaaaa!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  28. aaaaaaaii q perfeito meu deuuuuus q lindo ... continuaaa

    ResponderExcluir
  29. que lindooooooooooooooooooo!!!!!!!!!!!! não podia ter sido mais perfeito! realmente incrivel, adorei!!! por favor não demore a postar tá muito incrivel!!! bjs!!! :*

    ResponderExcluir
  30. esta muito boa a historia
    continua flor

    ResponderExcluir
  31. *---------* OMG que lindooo, perfeitoooo, continuaa flor.

    ResponderExcluir
  32. deuuuuuuusss q lindo continuaaaaaaaaaa pfffff

    ResponderExcluir
  33. Aiiiiiiiiiii perfeitooooo to amando muitooo bom amnda demais continua se ñao vou morrer do coraçao de ansiedade

    ResponderExcluir
  34. continua se não eu vou CHOLA *-* kkkkk pleaseeeeee go, vai continua pf pf pf.... bjs!!!!!!

    ResponderExcluir
  35. Aaaaaaaah to amandoooooo adoroo essas fics cheias de mistérios, coisas surreais, cheias de ficções... cont please ♥

    ResponderExcluir
  36. OMG tomará que naun1 seja tarde demais, está tão lindoo, continuaaa *-*

    ResponderExcluir
  37. oohh meu deuuuuuuuuusssssssss q perfeitoooooooo vc arrasou ... continuaaaa

    ResponderExcluir
  38. Definitivamente belo, tão incrivel e inesplicável, que acaba sendo perfeito!!!!!! estou adorando #De_paixão essa fic! Por favor, continua logo, não sei mais quanto tempo vou conseguir ficar sem ler essa fic, ou vou ter um troço kkk!!!!!! continua por favor!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  39. lindo! magnificamente belo! continua.........

    ResponderExcluir
  40. Gnt q perfeição de fic,é mto lindo,Realmente msm tinham que fazer um filme ou um livro pq é mto lindo msm <3 perfeição dms <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. né isso!!! incrivelmente perfeito, isso iria fazer tanto sucesso quanto Herry Potter ou Crepúsculo, na minha opinião, #só_acho

      Excluir
    2. Nossa, obg meninas pelos elogios. rs
      Ahh como eu queria mesmo que algum dia qualquer um das minhas histórias virassem livro, nem precisava fazer tanto sucesso assim. rs

      Excluir
    3. Faiiz um fic continuação desse ... MIL VIDAS TE AMANDO PARTE II

      Excluir
    4. Dinada Flor vc merece mais,vc vai conseguir pode deixar! E quando conseguir vou te pedir autografo kkkkkk bjos mto linda a Historia <3

      Excluir
  41. esta muito linda essa historia continua ele realmente e um anjo.

    ResponderExcluir
  42. Awns continua to amando cada capítulo ... vc é uma otima escritora parabéns ... se vc lançasse livros com certeza teria todas as suas coleções ♥♥♥

    ResponderExcluir
  43. nossa tadinho do mike aaiinn :( continuuuuaaaa

    ResponderExcluir
  44. muito boa mesmo que ro que fiquem juntos .

    ResponderExcluir
  45. ela naun1 pode morrer, tomará que quebre de uma vez por todas essas maldição *-*

    ResponderExcluir
  46. aiiiiiiiiiiii mdsssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  47. ki lindooooo,agr sim,viverão em paz *-------------*

    ResponderExcluir
  48. Que lindoo :') nossaaa .. emocionada akii

    Cont please *-*

    ResponderExcluir
  49. AAhhh n ja acabou ???????? poxa :( parabens lindo final Fanfic perfeita :)

    ResponderExcluir
  50. Awwnnnnnn Que fofa essa fic <3 perfeita demais <3 amei demais<3 merece 8 Grammy's em 2 horas pessoal <3 perfeitíssimo <3

    ResponderExcluir